Presidente das Filipinas ameaça tirar país da ONU

Bangcoc, 21 ago (EFE).- O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, ameaçou neste domingo em entrevista coletiva tirar seu país das Nações Unidas após as críticas da organização à luta extrajudicial de sua administração contra o tráfico de drogas.

A ameaça acontece depois que especialistas da ONU exigiram do governo de Manila que freasse seus métodos contra o narcotráfico, que custaram a vida de mil pessoas desde que Duterte foi eleito presidente em maio passado.

Após considerar que as críticas desses especialistas são "idiotas", Duterte qualificou as Nações Unidas de "inútil".

"Se a ONU diz uma coisa ruim sobre mim eu posso dizer dez coisas ruins sobre a ONU", e mencionou o "fracasso" da organização na luta contra a fome e o terrorismo.

"Talvez decida nos separar das Nações Unidas", disse o presidente filipino, antecipando que nesse caso convocaria a China e os países africanos para criar outra organização de caráter global.

Duterte ganhou popularidade após se transformar em 1988 em prefeito de Davao, na ilha de Mindanao e onde governou durante 22 anos em diferentes períodos nos quais se caracterizou por sua defesa com veemência das execuções extrajudiciais de delinquentes.

O presidente filipino, que anunciou a restauração da pena de morte, se comprometeu em acabar com o narcotráfico em seis meses, de acordo com uma promessa que fez durante a campanha que lhe permitiu ganhar as últimas eleições por grande maioria.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos