Merkel critica países europeus que se negam a acolher refugiados muçulmanos

Em Berlim

A chanceler alemã, Angela Merkel, criticou neste domingo (28) os países europeus que se negam a aceitar refugiados de religião muçulmana.

Em entrevista à emissora de televisão pública "ARD", Merkel se declarou aberta a buscar uma "solução comum" que não implique em um sistema de repartição de solicitantes de asilo por cotas nacionais obrigatórias, mas se manifestou frontalmente contra a discriminação de caráter religioso.

"O que não pode acontecer é que alguns digam: 'Não queremos muçulmanos em nosso país'", afirmou a chanceler em referência às declarações de vários líderes de países do leste da Europa.

Pelo contrário, Merkel se mostrou aberta a negociar com os países mais opostos às cotas uma via de entendimento e falou que "cada um deve contribuir com sua parte", com o que deu a entender que é possível buscar regras que não implicassem na repartição de refugiados por Estados.

Além disso, a chanceler alemã ressaltou a necessidade de chegar a acordos com os governos dos países do norte da África na linha do pacto alcançado entre a Turquia e a União Europeia (UE) sobre os solicitantes de asilo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos