Após discurso sobre imigração, Trump perde apoio de assessores latinos

Washington, 1 set (EFE).- Vários membros do Conselho Nacional de Assessores Hispânicos de Donald Trump e outros latinos conservadores retiraram nesta quinta-feira seu apoio ao candidato republicano à presidência dos Estados Unidos após o magnata confirmar sua linha dura sobre a imigração em discurso ontem.

Dois membros do Conselho Nacional de Assessores Hispânicos de Trump, Jacob Monty e Massey Villarreal, anunciaram que deixaram de apoiar o candidato republicano, e outros integrantes desse grupo cogitam retirar seu apoio, segundo vários relatos na imprensa.

"Eu dei a Donald Trump um plano que teria melhorado a segurança fronteiriça, deportado quem fosse criminoso e, o mais importante, daria permissões de trabalho a milhões de imigrantes honestos e que trabalham duro. Nesta noite ele rejeitou isso, então eu devo rejeitá-lo", escreveu Monty ontem à noite em seu perfil no Facebook.

Hoje, Monty confirmou em entrevistas a vários veículos de comunicação americanos que tinha decidido deixar o Conselho Nacional de Assessores Hispânicos, um grupo de 23 conservadores latinos que no dia 20 de agosto se reuniu com Trump e esperava que o magnata suavizasse seu discurso sobre imigração.

Monty, um advogado de imigração do Texas, disse à emissora "MSNBC" que talvez Trump "não queira ganhar" as eleições de novembro e por isso decidiu "demonizar os imigrantes" em seu discurso de quarta-feira em Phoenix (Arizona).

Outro latino do Texas que integrava o conselho de assessores do magnata, Massey Villarreal, garantiu à "NBC Latino" que estava "decepcionado com o discurso" e que não mais apoiaria "Trump como candidato a presidente".

Pelo menos outros dois membros desse conselho, Rick Figueroa e o sacerdote Ramiro Peña, ambos do Texas, asseguraram que estão repensando seu apoio a Trump após o discurso no Arizona.

"Ao invés de escutar os sábios conselhos de seus assessores e simpatizantes na comunidade latina, que têm experiência de primeira mão na área da imigração, Trump foi na direção contrária e se empenhou em suas propostas e sua retórica. É um erro", destacou Figueroa em comunicado citado pelo jornal "Texas Tribune".

Em um e-mail dirigido a membros da campanha de Trump e do Comitê Nacional Republicano, Peña afirmou que achava que o candidato republicano havia "perdido as eleições" com seu discurso de quarta-feira e que o Conselho de Assessores Hispânicos parecia ser uma "fraude" para a qual ele não tem "tempo nem energia".

"Rezarei durante os próximos dias, mas acho difícil imaginar como posso continuar associado à campanha de Trump", declarou Peña em um e-mail obtido pelo jornal digital "Politico".

Alfonso Aguilar, que não pertence ao conselho de assessores, mas era um dos apoiadores mais destacados de Trump entre a comunidade latina, anunciou que também retira seu apoio ao candidato.

"Durante os últimos dois meses, ele disse que não deportaria pessoas sem histórico criminoso (...). Até ontem, sua campanha deu a impressão de que lidaria com os imigrantes ilegais de forma compassiva", acrescentou Aguilar, presidente da Aliança Latina pelos Princípios Conservadores.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos