Chefe de parlamento venezuelano diz não poder suspender imunidade sem crimes

Caracas, 1 set (EFE).- O presidente do parlamento venezuelano, o opositor Henry Ramos Allup, afirmou nesta quinta-feira que os deputados não podem ser punidos porque não cometeram crimes em referência ao anúncio do presidente Nicolás Maduro de que consultará o Supremo sobre a suspensão da imunidade parlamentar.

"Não podem nos prender e suspender a imunidade porque nós não cometemos nenhum crime", afirmou o máximo representante do Poder Legislativo venezuelano.

Allup recalcou que o objetivo da oposição é "encerrar pacificamente" a manifestação, por isso que recomendou ao presidente Maduro aceitar "de maneira democrática" e com "tolerância" o direito que de se mobilizar.

O presidente Nicolás Maduro anunciou ontem que prepara um decreto para consultar o Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) sobre a possibilidade de suspender a imunidade de todos os cargos públicos, principalmente dos parlamentares.

A medida foi anunciada às vésperas da manifestação convocada pela oposição a favor de um referendo revogatório presidencial e poderia ser aplicada aos mais de cem deputados opositores que controlam a Assembleia Nacional desde janeiro passado.

A aliança opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) disse que esta mobilização será o início de uma agenda de atividades que acabará o dia que os cidadãos votem para revogar ou não a Maduro.

O presidente venezuelano anunciou também ontem que os corpos de segurança do Estado estão buscando em todo o país a outros dirigentes opositores por estar supostamente implicados em planos violentos e desestabilizadores contra o governo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos