Museu exibe misterioso corpo mumificado achado no pico mais alto do México

Nuria Monreal Delgado.

Puebla (México), 1 set (EFE).- O corpo mumificado que foi encontrado em junho de 2015 no Pico de Orizaba, a montanha mais alta do México, está sendo exibido com todo seu mistério em um museu de Ciudad Serdán, no centro do país.

O corpo, do qual se desconhece a identidade, tem aproximadamente 50 anos e poderia estar mumificado há mais de 15, segundo revelam as análises legistas realizadas neste último ano.

Baixa e magro, se sabe que o homem morreu sangrando por causa de uma fratura exposta e que as baixas temperaturas favoreceram sua mumificação neste vulcão de mais de 5.600 metros de altura.

"Esta múmia está intacta. Tem cabelo, unhas e dentes" disse à Agência Efe o prefeito de Ciudad Serdán, Juan Navarro, na recém inaugurada Casa de Cultura La Magnólia.

O mistério continua envolvendo esta descoberta, uma vez que o corpo usava um traje da caxemira preto com camisa azul, não portava equipamento de escalada e estava com o rosto virado para baixo em uma postura muito retorcida.

O prefeito de Ciudad Serdán afirmou em entrevista por telefone que as versões são muitas; já se especulou que se trata de um mendigo, uma pessoa que caiu de um pequeno avião ou um alpinista sem experiência.

Após a descoberta as autoridades receberam muitas ligações do México e de outros países, mas o corpo não pôde ser identificado e também não foi reclamado.

Agora pertence à prefeitura de Ciudad Serdán e é exibido com fins didáticos, científicos e turísticos. O corpo mumificado fica em uma vitrine e dentro de uma sala do museu, na qual ocupa o espaço central.

Em sua análise e posterior conservação foi examinado por analistas da cidade de Guanajuato, capital do estado de mesmo nome, e também por criminalistas, assegurou Navarro.

A múmia deve ser conservada a uma temperatura determinada e, por isso, o calor é controlado constantemente com um termômetro.

O corpo foi descoberto por um grupo de alpinistas, mas Navarro destacou que foi "o aquecimento global o encarregado de revelá-lo", motivo pelo qual sua exibição pretende conscientizar sobre o cuidado do meio ambiente, assim como os riscos que representa escalar uma montanha.

Junto com a múmia, o museu exibe vários ossos de mamute achados no município e outros objetos históricos como documentos de grande relevância como a certidão de nascimento do ex-presidente do México, Gustavo Díaz Ordaz.

A expectativa é que em breve a mostra seja ampliada com os corpos mumificados que ainda se encontram no cume do Pico de Orizaba e que foram descobertos no ano passado, mas não puderam ser recuperados por causa das condições meteorológicas, acrescentou o prefeito.

Em março de 2015, na face norte do Pico de Orizaba foram encontrados os corpos de três alpinistas que morreram em um acidente provocado por uma avalanche em 1959.

A diferença com o que já está em exibição é que estes corpos poderiam ser identificados, já que esta expedição ao cume de meio século atrás deixou vários sobreviventes.

Os três corpos mumificados - dois deles se deduz que morreram abraçados pela posição em que foram achados - poderiam ser os de seus companheiros sepultados.

Esta mostra em Ciudad Serdán, que exibe este corpo cheio de incógnitas, congelado e mumificado a milhares de metros de altura, se tornou o segundo lugar no México onde se pode ver múmias.

O primeiro é o popular Museu das Múmias de Guanajuato, no centro-norte do país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos