Noite de graves distúrbios no Gabão após a polêmica reeleição de Ali Bongo

Nairóbi, 1 set (EFE).- As principais cidades do Gabão foram palco durante toda a noite de quarta-feira de graves distúrbios e confrontos entre as forças de segurança e manifestantes que protestavam contra a polêmica reeleição de Ali Bongo, proclamado vencedor por pouca margem de votos.

Os incidentes começaram no final da tarde, após a publicação dos resultados, onde, de acordo com o candidato da oposição, Jean Ping, morreram pelo menos três pessoas e o Exército invadiu a sede central de campanha da sua coalizão.

Já durante a noite, um grupo de manifestantes colocou fogo no parlamento do Gabão, localizado na capital Libreville, e saqueou diversos comércios da cidade no meio do caos gerado.

O porta-voz do presidente Bongo, Alain Claude Bilie By Nze, se apressou em desmentir as denúncias da oposição: "são informações falsas que só querem colocar em perigo o Estado de direito no Gabão".

Por sua vez, Ali Bongo pediu respeito para "o veredicto das urnas" e para as instituições do país, especialmente a Comissão Eleitoral Nacional (CENAP), que foi muito criticada pelo injustificado atraso em publicar a apuração.

A CENAP anunciou a vitória de Ali Bongo - com 49,8% dos votos, contra 48,23% de seu rival - e pouco depois milhares de simpatizantes de Ping foram para as ruas denunciando uma possível manipulação da apuração.

A polêmica surgiu por causa dos resultados da província de Alto Ogooué, um bastião eleitoral onde o presidente reeleito do Gabão obteve mais de 95% dos votos com uma participação próxima aos 100%, enquanto no resto do país não chegou a 60%.

Tanto França como os Estados Unidos pediram para os eleitores de Bongo e Ping que mantenham a calma e evitem qualquer forma de intimidação e confronto.

Os dois países, com já tinha feito a União Europeia (UE), pediram para a CENAP que publicasse "os resultados de cada colégio eleitoral" para evitar suspeitas e garantir que a apuração foi justa e transparente.

Após as votações do último sábado, transcorreram com normalidade e sem incidentes apesar da tensão registrada durante a campanha. Tanto Bongo como Ping se anteciparam e se declararam vencedores sem esperar aos resultados oficiais, o que gerou um grande nervosismo em todo o país.

Ali Bongo - filho do ex-presidente Omar Bongo, que governou Gabão entre 1967 e 2009 - era o favorito para ser reeleito nas eleições, mas sua vitória foi muito mais apertada que o esperado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos