Violento confronto em Hama, na Síria, deixa 67 mortos

Cairo, 1 set (EFE).- Pelo menos 50 combatentes rebeldes e 17 civis morreram nas últimas horas no norte da província central de Hama, na Síria, durante confronto entre as facções opositoras e o regime sírio, informaram nesta quinta-feira os veículos de imprensa oficiais e ativistas.

Segundo a agência estatal "Sana", 50 rebeldes morreram e outros 70 ficaram feridos nos confrontos ontem com unidades do Exército na cidade de Bayda.

Entre os mortos está um suposto líder do Exército Al Isa, afirmou "Sana", acrescentando que a aviação militar bombardeou hoje também os "terroristas" nas regiões de Tibet al Imam, Morek e Suran.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) documentou, no entanto, a morte de um líder militar do rebelde Exército da Vitória e de outros combatentes, assim como os ataques aéreos a Morek e Suran.

Os bombardeios do regime sírio causaram ontem a morte de 17 civis, entre eles duas mulheres e uma criança, em zonas da cidade de Latamna, indicou o OSDH.

Todas as localidades citadas, alvo de bombardeios, estão sob o domínio das facções rebeldes islamitas desde a última segunda-feira, quando os insurgentes lançaram uma ofensiva no norte de Hama.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos