Forças turcas matam criança e deixam mais de 30 civis feridos em Kobani

Cairo, 2 set (EFE).- Uma criança morreu nesta sexta-feira e mais de 30 cidadãos, entre eles mulheres, ficaram feridos por disparos das forças turcas contra manifestantes que protestavam pela construção de um muro na cidade curdo-síria de Kobani, na fronteira entre Síria e Turquia.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) afirmou que as forças turcas continuam com seus ataques contra os manifestantes de Kobani com disparos, gás lacrimogêneo e canhões com jatos d'água.

Os manifestantes que protestavam contra a construção do muro se encontram agora na fronteira sírio-turca, onde muitos acabaram sofrendo asfixia devido à forte concentração de gás lacrimogêneo, de acordo com o OSDH.

As forças turcas retomaram os ataques contra a cidade de Hamam, situada nos arredores de Afrin, com um grande número de bombas e disparos, mas o OSDH, por enquanto, não ofereceu números de vítimas.

A Turquia interveio na Síria na semana passada para evitar que as forças curdas conseguissem unir seus domínios ao leste do rio Eufrates com o enclave de Afrin, a oeste, o que lhes permitiria controlar uma grande faixa de território ao longo da fronteira turca.

Em 29 de agosto, a Administração Autônoma do enclave de Kobani acusou em um comunicado a Turquia de tentar ocupar essa cidade e de construir um muro no Curdistão sírio, segundo informou então a agência pró-curda "ANHA".

Além disso, os administradores de Kobani convocaram os moradores da cidade curda a "se rebelarem contra a ocupação turca e a renovarem a alma da resistência de Kobani".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos