PT defende eleições antecipadas e já pensa em Lula como candidato

São Paulo, 2 set (EFE).- De volta à oposição após a destituição de Dilma Rousseff, o PT defendeu nesta sexta-feira a realização de eleições antecipadas, que estão previstas para 2018, e estuda a possibilidade de apresentar como candidato o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Agora, frente a um governo que não tem voto, que usurpa o poder, pensamos que a única maneira de restabelecer a democracia no país é pelo voto popular", declarou durante entrevista coletiva na sede do partido em São Paulo o presidente da legenda, Rui Falcão.

Nesse sentido, Falcão indicou que se está trabalhando na "ideia" de uma "combinação com os demais setores, partidos e frentes, para ver as melhores ferramentas de uma campanha para novas 'Diretas já'", o mesmo nome usado para a redemocratização durante a ditadura militar que governou entre 1964 e 1985.

"Espero que possamos voltar a estabelecer a democracia no país com as eleições para presidente, em substituição do golpista que está lá e de toda sua equipe ilegítima", acrescentou.

Inicialmente essa proposta tinha sido rejeitada por parte dos quadros diretivos do PT, que não queriam novas eleições e insistiam em esgotar os mecanismos legais para a permanência de Dilma no poder.

Agora, com o respaldo do partido, a ideia começa a ter força e foi assumida pelos movimentos e organizações sociais que desde segunda-feira, quando Dilma se submeteu pessoalmente ao interrogatório dos senadores, saíram todos os dias às ruas das principais cidades do país.

Falcão, no entanto, se absteve de comentar as datas das possíveis eleições e afirmou "que a ideia de antecipação é fazê-las o mais rápido possível, mas se necessita de um prazo legítimo para isso".

O presidente do PT considerou também que em caso de novas eleições "para restabelecer a democracia", Lula, que responde perante a Justiça pelo caso de corrupção da Petrobras , pode ser apresentado como candidato.

"Esta repressão é um componente de uma cruzada política e ideológica contra a esquerda e contra o ex-presidente Lula em particular. Foi vítima de ações contraditórias da acusação", comentou Falcão.

O PT apresentou nesta sexta-feira na sede paulista do partido o documento "Resolução política sobre o golpe e a oposição ao governo usurpador", que em 24 pontos expõe sua visão sobre os últimos eventos políticos do país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos