Exército turco garante que "neutralizou" 104 rebeldes do PKK

Ancara, 3 set (EFE).- O exército da Turquia afirmou que conseguiu "neutralizar" 104 integrantes do grupo armado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, sigla em curdo) em uma grande operação militar no sudeste do país, na qual morreram sete soldados, informou neste sábado o jornal "Hürriyet".

Os guerrilheiros morreram ou foram capturados como prisioneiros em uma região montanhosa da província de Hakkari, que faz fronteira com o Iraque e o Irã, em uma operação na qual também morreram sete militares, de acordo com um comunicado do escritório do governador dessa região.

No entanto, as afirmações das autoridades turcas não puderam ser verificadas de forma independente.

O exército chegou a relatar ontem que havia matado 33 guerrilheiros e tomado como prisioneiros outros 30, que tinham ficado feridos.

Esses números cresceram hoje dentro dessa mesma operação para 104 guerrilheiros "neutralizados" entre mortos e capturados.

Os caças de combate turcos atacaram ontem duas posições do PKK após terem recebido informações de inteligência, segundo o jornal "Sabah".

Após os bombardeios, o exército lançou uma operação terrestre com apoio aéreo após detectar que havia um grupo de aproximadamente 120 integrantes do PKK na região.

Nos enfrentamentos, além da morte dos sete soldados, outros 21 ficaram feridos, três deles em estado grave.

Em outra operação desenvolvida no sudeste do país, nos montes Tendurek, situados na província sudeste de Van, limítrofe com o Irã, morreram oito militares e 13 guerrilheiros nas últimas horas, relataram fontes oficiais turcas neste sábado.

A imprensa também reportou hoje um ataque atribuído ao PKK, ocorrido ontem à noite, contra um posto de controle do exército na cidade de Dargecit, na província de Mardin, também no sudeste truco, no qual morreram dois soldados e um integrante de um corpo paramilitar curdo leal ao governo em Ancara.

Assim, chega a 18 o número de militares e membros das forças de segurança que morreram em enfrentamentos com o PKK nas últimas 72 horas, enquanto a cifra de guerrilheiros abatidos ou capturados como prisioneiros é de 117.

As forças de segurança turcas vêm sofrendo ataques praticamente diários do PKK após o fim de um cessar-fogo unilateral pelo fracasso das conversas de paz com o governo, em julho do ano passado.

Mais de 600 policiais e soldados morreram em atentados desde então, segundo dados oficiais.

O PKK, classificado como uma organização terrorista por Turquia, União Europeia e Estados Unidos, iniciou em 1984 uma luta armada contra o Estado turco exigindo mais autonomia para os mais de 12 milhões de curdos que vivem no país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos