Ban Ki-moon pede ao G20 que siga os EUA e China e ratifique Acordo de Paris

Hangzhou (China), 4 set (EFE).- O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, pediu neste domingo aos membros do G20 que ratifiquem o acordo para combater a mudança climática alcançado na Cúpula do Clima de Paris (COP21), como fizeram no sábado os Estados Unidos e China.

"Peço aos líderes, particularmente que compõem a cúpula do G20, que mostrem sua liderança, acelerando seu processo de ratificação interna, para que possamos transformar as aspirações nas ações transformadoras que o mundo necessita urgentemente", disse Ban, em entrevista coletiva em Hangzhou, na China.

A partir de hoje, a cidade chinesa recebe a reunião de cúpula de líderes do G20, onde Ban Ki-moon participará pela última vez como secretário-geral da ONU antes de deixar o cargo, no final do ano.

O dirigente da ONU recomendou aos líderes das principais economias desenvolvidas e emergentes do planeta que formam o Grupo dos Vinte que aproveitem o "impulso" derivado da ratificação dos EUA e China, os dois maiores emissores de gases poluentes.

Os presidentes Barack Obama e Xi Jinping, oficializaram ontem, em Hangzhou, na presença do principal responsável da ONU, seu compromisso com o Acordo de Paris e com a luta contra o aquecimento global.

Graças a estes dois apoios, segundo Ban, o pacto da COP21 já foi ratificado por 26 dos quase 200 países que se comprometeram a cumpri-lo, que representam 39% das emissões mundiais de gases poluentes, por isso falta a ratificação de outros 29 nações e 16% das emissões para entrar em vigor.

Ban pediu que as principais potências tomem a iniciativa em matéria da mudança climática, algo pelo que, segundo sua opinião, "terão sua recompensa".

O secretário-geral da ONU reivindicou aos membros G20 que, além de ratificar o acordo, disponham de apoios técnicos e financeiros necessários para que possa ser aplicado.

Para Ban, a luta contra a mudança climática é parte da "transformação" que deve se submeter o G20 para se tornar um fórum "com uma visão de longo prazo", mas também pediu para a cúpula que "trabalhe em conjunto para resolver desafios urgentes como a pobreza, desigualdade e os conflitos".

O responsável das Nações Unidas lembrou permanecem os conflito na Síria, Iêmen, Sudão do Sul, Líbia e Mali, e alertou que, como consequência, o número de pobres no mundo chegou aos 65 milhões.

Neste sentido, Ban espera a cúpula do G20 aprove um plano de ação para atingir os objetivos de Desenvolvimento Sustentável para 2030, a agenda das Nações Unidas, que continua o trabalho dos Objetivos do Milênio, e pediu para que os líderes alinhem suas políticas nacionais com esse programa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos