"Madre Teresa me levou a um destino diferente", diz menino com pólio acolhido pela santa

Luis Ángel Reglero

Em Calcutá (Índia)

  • Reprodução/Freedom In The Air

Guatam Lewis já foi um dia um menino de rua na Índia e agora, transformado em piloto de avião, voltou à cidade onde nasceu em agradecimento àquela que considera sua segunda mãe, Teresa de Calcutá, para mostrar que muitos como ele são o exemplo vivo da obra de quem se tornou uma santa pela Igreja Católica neste domingo (4).

Lewis é um das crianças abandonadas, doentes de pólio, que tiveram uma segunda chance na vida graças à Madre Teresa, depois que suas missionárias o recolheram das ruas de Calcutá e o curaram em uma de suas casas de acolhimento.

Transformado agora em piloto comercial, diretor de uma escola de pilotagem para pessoas com incapacidades físicas e embaixador da Unesco em sua campanha contra a pólio, Lewis retornou a suas origens em Calcutá para mostrar a história de sua vida através de um documentário e de uma exposição em homenagem à fundadora das Missionárias da Caridade.

Cercado de fotografias no centro cultural Nandan de Calcutá, Lewis lembrou à Agência Efe que foi recolhido das ruas aos 3 anos e levado pelas freiras à primeira casa de acolhimento para crianças fundada pela Madre Teresa, a Shishu Bhavan.

Naquele lugar, Guatam passou cinco anos, dois deles no meio de um calvário de operações para salvar suas pernas, que foram gravemente afetadas pela poliomielite, até que foi adotado e começou uma nova vida em Londres, na Inglaterra.

"Você não pode imaginar o que é para uma criança tentar entender o que está acontecendo nessa situação", comentou Lewis sobre o que recorda de sua infância em um bairro pobre, "provavelmente" o que agora é conhecido como a Cidade da Alegria.

Aos 39 anos, o agora piloto comercial tem consciência de que sua infância "não foi das mais brilhantes, mas como se costuma dizer, sempre há uma luz no final do túnel. A Madre Teresa me levou a um destino diferente".

Apoiado em suas muletas devido à deficiência causada pela pólio, Lewis se lembra da religiosa levando as crianças da Shishu Bhavan à missa nos domingos na Casa Mãe, a sede das missionárias.

Condenado então a se arrastar por não poder movimentar as pernas, Lewis recorda que a figura da pequena freira lhe parecia grande vista do chão.

"E continua sendo. Para mim, ela é minha segunda mãe, depois da minha mãe biológica", comentou Lewis, que nunca teve notícias de seus verdadeiros pais.

Por isso, Guatam quis dedicar a ela o documentário "Madre Teresa e Eu", que em 55 minutos percorre casas que acolhem crianças, doentes e idosos das Missionárias da Caridade em Calcutá, onde o filme foi exibido dentro das atividades prévias à canonização no Vaticano.

"Esse eu não se refere só a mim, mas representa todos àqueles que ela ajudou", disse Lewis.

Na exposição "Memórias de Madre Teresa", Guatam evoca suas lembranças com a fundadora da congregação através de imagens captadas no dia a dia das Missionárias da Caridade.

"Para muita gente, especialmente na Igreja Católica, é muito importante ir ao Vaticano", comentou o piloto sobre o acontecimento deste domingo.

Mas ele tinha que voltar a Calcutá: "Retornei para contar minha história com minha própria voz, como um dos muitos que se beneficiaram de sua ajuda".

Lewis, além de piloto, é músico e dirige no Reino Unido uma escola que ensina pessoas com necessidades especiais a pilotar, chamada 'Freedom in the Air' ("Liberdade no Ar", em tradução livre).

O papa Francisco celebrou hoje no Vaticano a cerimônia de canonização de Madre Teresa de Calcutá, que em 1979 recebeu o prêmio Nobel da Paz após ter fundado em 1950 uma ordem que na atualidade conta com cerca de 5 mil missionárias em 745 casas de acolhimento, distribuídas em cerca de 130 países.

Madre Teresa foi uma das mulheres mais admiradas da Igreja

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos