Obama nomeia primeiro juiz federal muçulmano da história dos EUA

Washington, 6 set (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, nomeou nesta terça-feira aquele que, se for confirmado pelo Senado, se transformará no primeiro juiz federal muçulmano da história americana, em um contexto eleitoral no qual aumentaram os ataques retóricos contra os que professam essa religião no país.

Obama anunciou em comunicado que indicou o americano Abid Riaz Qureshi para ser um dos juízes da Corte Federal do Distrito de Columbia, onde se encontra Washington, capital do país.

"Estou encantado de nomear o senhor Qureshi para fazer parte da bancada da Corte Federal do Distrito de Columbia. Tenho certeza que servirá ao povo americano com integridade e um compromisso ferrenho com a Justiça", disse Obama no comunicado.

Qureshi necessitará da confirmação do Senado para ocupar seu cargo, um passo complicado já que a maioria republicana nessa câmara se negou a considerar várias das nomeações judiciais de Obama, incluindo o juiz que nomeou em março para a Corte Suprema, Merrick Garland.

No entanto, mesmo se Qureshi não for confirmado antes que Obama deixe o poder em janeiro, pode voltar a ser nomeado para o mesmo cargo caso a candidata democrata, Hillary Clinton, ganhe as eleições de novembro e decida respeitar a decisão de seu antecessor.

Uma organização nacional que promove os direitos legais dos muçulmanos chamada Muslim Advocates (Defensores dos Muçulmanos) celebrou hoje a indicação de Qureshi, "o primeiro muçulmano americano designado para um cargo judicial federal".

"Felicito o presidente Obama por dar este importante passo ao continuar escolhendo os melhores e os mais brilhantes de cada comunidade para que façam parte dos tribunais de nosso país", elogiou em comunicado a diretora-executiva da ONG, Farhana Khera.

"Uma bancada judicial que reflita a diversidade de nossa nação ajuda a assegurar a administração justa da lei e é vital que os muçulmanos americanos estejam incluídos", acrescentou.

A indicação acontece em um contexto eleitoral no qual o candidato republicano à presidência, Donald Trump, sugeriu em várias ocasiões a proibição da entrada no país dos muçulmanos e criticou o governo de Obama por acolher 10.000 refugiados sírios nos Estados Unidos.

Desde 2012, Qureshi é o presidente do comitê pró bônus da firma de advogados Latham & Watkins LLP de Washington, onde desenvolveu toda sua carreira após se formar em Direito pelas universidades de Harvard e Cornell na década de 1990, de acordo com a Casa Branca. EFE

llb/rsd

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos