França condena terrorista de extrema-esquerda por elogios a jihadistas

Paris, 7 set (EFE).- A Justiça da França condenou nesta quarta-feira a oito meses de prisão Jean-Marc Rouillan, um dos criadores do grupo terrorista de extrema-esquerda Ação Direta, depois que o mesmo fez elogios aos jihadistas que participaram dos atentados de Paris em novembro do ano passado.

O Tribunal Correcional de Paris o considerou culpado pelo crime de apologia ao terrorismo devido a uma entrevista dada pelo extremista no dia 23 de fevereiro à revista satírica "Le Ravi", na qual falou dos autores dos atentados de 13 de novembro na capital francesa, no qual 130 pessoas morreram.

"Para mim eles são muito corajosos", afirmou Rouillan, que foi condenado a duas penas de prisão perpétua por seu envolvimento nos crimes do Ação Direta e passou 25 anos na cadeia, até 2012.

Rouillan ressaltou na entrevista que os jihadistas "lutaram corajosamente" sabendo que havia "2 ou 3 mil 'polis' (policiais) a seu ao redor".

"Você pode dizer que é absolutamente contrário a suas ideias reacionárias, pode dizer muitas coisas contra eles, que era idiota fazer isso ou aquilo, mas não pode dizer que são covardes", acrescentou o homem de 63 anos.

Na audiência no Tribunal Correcional de Paris no dia 24 de junho, Rouillan tentou corrigir algumas de suas palavras.

O extremista especificou que queria dizer que os jihadistas tinham se mostrado "decididos" e insistiu que os considerava "inimigos" e classificou a ideologia do Estado Islâmico (EI, que reivindicou os ataques de Paris) de "mortífera".

Por volta de 30 vítimas dos atentados e seus familiares se apresentaram como acusação particular neste processo contra um dos criadores do Ação Direta.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos