Kerry se reunirá com Lavrov em Genebra para abordar situação da Síria

Washington, 8 set (EFE).- O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, se reunirá na sexta-feira em Genebra com o colega russo, Sergey Lavrov, para abordar os meios de reduzir a violência na Síria, aumentar a ajuda humanitária e avançar em direção a uma solução política do conflito.

O porta-voz do Departamento de Estado, John Kirby, anunciou em comunicado que Kerry visitará Genebra nesta quinta-feira e amanhã, momento no qual retomará as conversas com o representante russo.

"A discussão dá sequência a conversas recentes sobre a Síria e focará na redução da violência, na ampliação da ajuda humanitária para o povo sírio e no avanço rumo a uma solução política necessária para pôr fim à guerra civil", detalhou Kirby em breve nota de imprensa.

O Departamento de Estado dos EUA ainda não confirmou a reunião entre os dois titulares das Relações Exteriores na cidade suíça, encontro que a Chancelaria russa anunciou ontem.

Em entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira, o porta-voz adjunto do Departamento de Estado, Mark Toner, tinha descartado o encontro e opinou que uma reunião de alto nível com a Rússia sobre a Síria não seria "útil" neste momento.

"Kerry está disposto a se reunir com Lavrov, mas achamos que os temas a serem resolvidos estão em um nível técnico e têm que ser solucionados entre as agências (de cada país). Quando chegarmos a um ponto de sentir que um encontro seria útil, o faremos", explicou o porta-voz.

Estados Unidos e Rússia mantiveram intensas negociações ao longo de todo o fim de semana passado nas margens da cúpula do G20 em Hangzhou (leste da China) para tentar firmar um acordo de cessar-fogo na Síria.

Mas os contatos fracassaram, apesar de o presidente dos EUA, Barack Obama, ter substituído o secretário de Estado, John Kerry, e conversado sobre o tema durante 90 minutos com o colega russo, Vladimir Putin.

Obama e Putin encarregaram seus ministros das Relações Exteriores de darem continuidade ao tema, e os contatos seguiram desde então para resolver as principais diferenças.

Os EUA querem declarar um cessar-fogo em todo o território da Síria, o que incluiria as tropas do governo, o que enfrenta a resistência da parte russa, que pediu a Washington que se concentre em acabar com o grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

O governo americano abriu as portas para coordenar com a Rússia sua estratégia militar contra o EI e a Frente al Nusra, mas só se antes houver um cessar-fogo em toda a Síria, se for garantido o acesso humanitário às áreas sitiadas e se reiniciarem as negociações de paz em Genebra.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos