Milhares de pessoas lembram 40° aniversário da morte de Mao na China

Pequim, 9 set (EFE).- Milhares de pessoas se reuniram nesta sexta-feira em Shaoshan, a cidade natal de Mao Tsé-tung (26 de dezembro de 1893 - 9 de setembro de 1976) para comemorar o 40° aniversário da morte do Grande Timoneiro.

Segundo publica nesta sexta-feira o jornal oficial "Global Times" (propriedade do Jornal do povo, o meio porta-voz do Partido Comunista da China), milhares de pessoas de distintas partes do país honram hoje a memória de Mao em Shaoshan, especialmente na praça do centro da cidade onde está uma estátua de bronze do ex-dirigente.

Aos pés da escultura, de cerca de seis metros de altura e que representa Mao durante a cerimônia de fundação da República Popular da China em outubro de 1949, seus seguidores depositaram ou enviaram desde outras partes da China diversas de oferendas florais.

Alguns visitantes, afirma o jornal, realizaram genuflexões e rezaram diante da estátua do ditador, cujas decisões causaram cerca de 70 milhões de mortes (acima das mortes provocadas por Stalin e Hitler).

Este jornal ressalta que, apesar do foco do Ocidente sobre os erros de Mao -sobretudo, diz, "a devastadora Revolução Cultural (1966-1976)-, o governo chinês "ainda admite e reconhece suas conquistas e papel inegável em criar uma nova China apesar de seus erros".

No entanto, destaca que os especialistas alertam sobre a "existência de opiniões extremistas sobre ele: "alguns ainda o adoram como um Deus e tentam endireitar todos seus erros, enquanto outros ignoram qualquer possível legado positivo que tenha deixado".

Além de em Shaoshan, há atos e eventos comemorativos previstos esta semana em outras províncias da China, incluindo Pequim, Tangshan (norte, na província de Hebei), e em Shangri-la (ao sudoeste, província de Yunnan), acrescenta o "Global Times".

Por outro lado, não há nenhum ato organizado pelo governo de Pequim, que ainda mantém o preceito tradicional de que Mao fez 70% de coisas boas e 30% de coisas ruins, e que conserva seu corpo embalsamado na emblemática praça de Praça da Paz Celestial.

Por sua vez, o site do Exército de Libertação Popular (ELP) publica hoje uma coleção de 80 fotografias de Mao, e no Weibo, uma das redes sociais mais populares da China (equivalente a Twitter), o 40° aniversário de sua morte -um dos temas diários propostos pelo próprio site- conta até o momento com 12 milhões de leituras.

Um número insignificante, no entanto, se for comparado com o tema mais visto de hoje: o aniversário do ator chinês Yang Yang, que teve 3 bilhões de acessos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos