Ucrânia emite firme protesto por convocação de eleições russas na Crimeia

Kiev, 10 set (EFE).- A Ucrânia emitiu neste sábado um firme protesto pelos planos da Rússia de realizar eleições legislativas na península da Crimeia, anexada pelo país em 2014.

"O Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia expressa seu firme protesto devido aos planos de realizar eleições na República Autônoma da Crimeia e na cidade de Sebastopol", afirmou o porta-voz da diplomacia ucraniana, Alexei Makeev.

O diplomata ressaltou que tais propostas contradizem o direito internacional e representam uma flagrante violação dos compromissos assumidos pela Rússia. E afirmou que é impossível realizar tal votação nas embaixadas e consulados russos na Ucrânia.

Além disso, a Ucrânia anunciou que boicotará as eleições parlamentares russas, marcadas para o dia 18 de setembro, em seu território, após recentemente ter pedido à comunidade internacional que não reconheça os resultados do pleito na península da Crimeia.

"O presidente Petro Poroshenko encarregou o ministro das Relações Exteriores de enviar um relatório a Moscou sobre a impossibilidade de se realizar eleições russas no território da Ucrânia", escreveu no Twitter o porta-voz da presidência, Sviatoslav Tsegolko.

Em outras ocasiões, os russos puderam exercer seu direito ao voto nas legações diplomáticas do país vizinho, tanto em Kiev como em outras cidades do país. O Ministério das Relações Exteriores da Rússia, inclusive, tinha pedido as autoridades ucranianas que garantisse a segurança das embaixadas e consulados do país em Kiev, Odessa, Kharkiv e Lviv durante a realização do pleito.

O parlamento da Ucrânia pediu à comunidade internacional que não envie observadores às eleições, as primeiras que serão realizadas desde a anexação da Crimeia, onde há 1,8 milhões de eleitores.

Sobre o assunto, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, afirmou há poucos dias que a Rússia não levaria em consideração qualquer postura oficial da Ucrânia porque a Crimeia é "território russo".

A presidente da Comissão Eleitoral Central da Rússia, Ella Pamfilova, afirmou que consultará a diplomacia russa para decidir que passos dar para lidar com o boicote ucraniano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos