Indonésia captura braço direito do líder jihadista

Bangcoc, 14 set (EFE).- Os corpos de segurança da Indonésia capturaram nesta quarta-feira o braço direito do líder jihadista Santoso, que foi chefe do grupo Mujahedin da Indonésia Oriental (MIT) e defensor do Estado Islâmico (EI) até sua morte em uma operação antiterrorista em julho.

Fontes policiais citadas pelo meio local "Detik" indicaram que membros da unidade Tinombala praticaram a detenção de Muhammad Basri nesta manhã na principal das ilhas Célebes, durante uma operação na qual morreu o jihadista Andika Basri.

Muhammad Basri foi levado primeiro a uma delegacia e depois será levado a Palu, a capital da província Célebes Central e situada cerca de 110 quilômetros ao noroeste da primeira.

Santoso fundou em 2010 e estabeleceu seu quartel-general nas selvas de Poso o grupo Mujahedin da Indonésia Oriental, também conhecido como Os Guerreiros Santos da Indonésia Oriental ou Grupo de Santoso; e em 2014 se alinhou com o EI.

A Indonésia, onde a comunidade muçulmana compõe 88% dos 250 milhões de habitantes do país, foi vítima de vários ataques perpetrados por radicais islamitas desde o começo do século.

O atentado islamita mais grave ocorreu na turística ilha de Bali em 12 de outubro de 2002 e deixou 202 mortos, a maioria turistas estrangeiros.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos