Sérvia estudará pôr barreiras em fronteiras para impedir entrada refugiados

Belgrado, 14 set (EFE).- A Sérvia analisará medidas "mais drásticas", como instalar cercas nas fronteiras com a Macedônia e a Bulgária para impedir a entrada sem controle de imigrantes, que chegam cada vez mais por motivos "econômicos".

"Temos o Exército e a Polícia nas fronteiras, mas talvez também barreiras ou a instalação de algum tipo de obstáculo são soluções para reduzir o número de imigrantes. Os imigrantes econômicos não podem seguir a lugar algum da Europa e também não podem ficar na Sérvia", disse o ministro sérvio de Assuntos Sociais, Aleksandar Vulin, nesta quarta-feira em declarações divulgadas pela agência de notícias estatal "Tanjug".

O ministro disse que o tema da imigração foi debatido ontem à noite pelos chefes de governo búlgaro, húngaro e sérvio, "que dedicaram uma especial atenção à mudança da estrutura dos imigrantes". Entre os imigrantes há cada vez mais pessoas que abandonam seus países por razões econômicas e menos que fogem da guerra, garantiu Vulin.

"Nossas capacidades estão perto do limite. Os imigrantes ficam muito mais do que antes e sua estrutura mudou de forma significativa", concluiu.

O governo sérvio assegura que mais de 80% dos refugiados que chegam ultimamente ao país são emigrantes econômicos procedentes do Afeganistão. Atualmente, 5 mil refugiados estão no país.

Desde o final de julho, unidades conjuntas da Polícia e do Exército sérvio reforçaram o controle das fronteiras com Bulgária e Macedônia para impedir a entrada ilegal de refugiados e imigrantes.

A Sérvia é, junto com a Macedônia, Croácia e Eslovênia, parte da chamada "Rota dos Bálcãs", por onde passaram milhares de pessoas procedentes do Oriente Médio e outras regiões no ano passado. Com a ajuda de traficantes, muitos refugiados continuam usando a rota, apesar de seu fechamento oficial em março deste ano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos