Trump detalha plano para que os EUA cresçam 3,5% ao ano

Nova York, 15 set (EFE).- O candidato do Partido Republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, ofereceu nesta quinta-feira novos detalhes do plano econômico que promoverá se chegar à Casa Branca, para fazer com que o país cresça 3,5% ao ano e que sejam criados 25 milhões de empregos.

"Desenvolvemos um plano que nos permitirá fazer com que a economia cresça nos próximos dez anos a um ritmo anual de 3,5% e para criar um total de 25 milhões de empregos novos", garantiu Trump durante um discurso no Economic Club de Nova York.

O plano, que o magnata qualificou de "audaz, ambicioso e futurista", se baseia em reduzir impostos, acabar com as regulações "destrutivas" e negociar melhores tratados comerciais para que os Estados Unidos voltem a ser o melhor país do mundo para investir, criar emprego e crescer.

"Meu plano econômico rejeita o cinismo que diz que nossa força de trabalho seguirá decaindo, que nossos trabalhos continuarão sendo transferidos para outros países e que nossa economia não poderá voltar a crescer como antes", afirmou Trump.

O candidato já tinha prometido em agosto que se chegar à Casa Branca iniciará a "maior revolução fiscal" desde a presidência de Ronald Reagan, nos anos 1980, com redução de impostos para a classe média e cortes "maciços" das regulações federais.

Entre outras medidas, seu plano propõe a eliminação do imposto de sucessões, a redução da taxa que as empresas americanas pagam da atual alíquota de 35% para 15%, e o alívio das despesas pelos gastos com o cuidado dos filhos.

"Nosso plano fiscal simplificará o código para reduzir de sete para três as faixas tributárias: 12%, 25% e 33%, e as pessoas de poucos recursos não terão que pagar imposto de renda", garantiu hoje o magnata.

Trump também detalhou algumas de suas propostas concretas para a classe média trabalhadora que vão desde maiores deduções pelo cuidado com os filhos até a criação de contas-poupança livres de impostos para ajudar outros dependentes.

Os casais com filhos que ganham US$ 50 mil por ano economizarão 35% de sua atual declaração, e os que ganham US$ 75 mil economizarão 30%, enquanto os que têm renda de US$ 5 milhões não verão mudanças em seus impostos, segundo Trump.

"O plano da minha adversária só oferece mais impostos, mais regulação, mais despesas e mais redistribuição da riqueza, um futuro de menos crescimento, redução de receitas e prosperidade minguante", atacou o republicano.

Trump garantiu que as políticas da administração Obama, as mesmas que a candidata democrata, Hillary Clinton, "quer seguir impulsionado", "duplicaram" a dívida, "arruinaram" a infraestrutura e deixaram 14 milhões de americanos sem emprego.

O magnata nova-iorquino propôs também uma reforma do setor energético que elimine as restrições atuais e uma "moratória" para as novas regulações federais que não afetem a segurança pública e acabar com outras que sejam "desnecessárias e que destruam o emprego".

Finalmente, Trump garantiu que se chegar à Casa Branca ordenará a seu secretário do Tesouro que "qualifique a China como um país manipulador de divisas" e que se instaurem novas tarifas para qualquer nação que queira desvalorizar sua moeda para tirar proveito dos Estados Unidos.

"Somos o país que domesticou o Oeste, o que escavou o Canal do Panamá, o que ganhou duas guerras mundiais e o que colocou um homem na Lua. Já é hora de voltarmos a pensar grande outra vez", concluiu Trump.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos