EUA investigam como "possível ato de terrorismo" ataque a centro comercial

Beatriz Pascual Macías

  • Dave Schwarz/St. Cloud Times via AP

    17.set.2016 - Pessoas se reúnem diante da entrada do shopping center Crossroads Center

    17.set.2016 - Pessoas se reúnem diante da entrada do shopping center Crossroads Center

As autoridades americanas estão investigando como um "possível ato de terrorismo" o ataque cometido por um homem ontem à noite em um centro comercial do estado de Minnesota, onde ele apunhalou nove pessoas com uma "faca de cozinha" enquanto invocava o nome de Alá.

O homem, abatido após o ataque, foi identificado por seu pai como Dahir A. Adan, de 22 anos e nascido na África, embora tenha vivido nos Estados Unidos durante 15 anos. Por enquanto, as autoridades não divulgaram a identidade do agressor, considerado pela agência "Amaq", vinculada aos jihadistas, um "soldado" do grupo Estado Islâmico (EI) que supostamente realizou o ataque como represália aos bombardeios que os Estados Unidos lideram contra o EI na Síria e no Iraque.

"Estamos atualmente investigando isto como um possível ato de terrorismo", anunciou neste domingo Richard Thornton, o agente do FBI a cargo da Divisão de Minneapolis, cidade do estado de Minnesota localizada a 100 de quilômetros da cidade de Saint Cloud, onde aconteceu o ataque. Em entrevista coletiva em Saint Cloud, Thornton detalhou que o FBI vai analisar as redes sociais e os contatos do agressor.

Usando o uniforme de uma empresa de segurança particular, o homem usou uma arma branca parecida a "uma faca de cozinha" para cometer o ato e chegou a perguntar pelo menos a uma pessoa se ela era muçulmana antes de atacá-la, detalharam hoje durante a entrevista coletiva as autoridades locais.

Conforme o relato policial, por volta das 20h15 (horário local de sábado, 22h15 em Brasília), o criminoso invadiu o centro comercial de Saint Cloud, uma cidade de, aproximadamente, 70 mil habitantes. O agressor andou por vários corredores do centro comercial até ser abatido por um oficial de Polícia fora de serviço e identificado como Jason Falconer.

"A vida do agente chegou a estar em perigo", garantiu na entrevista coletiva o prefeito de Saint Cloud, Dave Kleis.

Ao todo, nove pessoas, com idades entre 15 e 53 anos, ficaram feridas. Seis delas receberam alta e três permanecem internadas sem risco, de acordo com o último relatório médico das 7h (horário local, 9h em Brasília) divulgado pelo prefeito durante a entrevista coletiva.

O chefe da Polícia local, Blair Anderson, indicou que o veículo do agressor foi achado no estacionamento do centro comercial e detalhou que os policiais efetuaram batidas em dois edifícios de Saint Cloud, onde aparentemente o criminoso morava.

Ahmed Adan, o pai do autor da ação, disse que a Polícia entrou em contato com ele por volta das 21h (horário local de sábado, 23h em Brasília) para informar que seu filho tinha morrido no centro comercial, segundo o jornal local "Star Tribune".

Entrevistado com a ajuda de um tradutor, o pai disse que não tinha "qualquer suspeita" de que seu filho estivesse envolvido em atividades terroristas e indicou que o jovem estava estudando em uma faculdade da cidade especializada em tecnologia. Durante os últimos anos, a Saint Cloud recebeu centenas de imigrantes muçulmanos e originais da Somália, com base em dados do censo americano.

No próprio estado de Minnesota, acontece desde o fim de 2014 a investigação mais ampla por terrorismo de todo Estados Unidos, com 11 oriundos deste estado acusados de planejar viagens à Síria ou ao Iraque e se unir ao Estado Islâmico, segundo o Departamento de Justiça. Neste contexto, o governador de Minnesota, o democrata Mark Dayton, pediu que todos os moradores do estado "atuem em favor da tolerância religiosa e racial".

O diretor do Conselho de Relações Islâmico-Americanos (CAIR) em Minnesota, Jaylani Hussein, por sua vez, expressou sua "preocupação" sobre a possibilidade de que o ataque prejudique as relações entre os habitantes agora e em longo prazo.

Enquanto a investigação continua, as autoridades aumentaram as medidas de segurança em um dos maiores shoppings do mundo, situado no próprio estado de Minnesota, na cidade de Bloomington. No ano passado, esse local apareceu em um vídeo da milícia somali Al Shabab, grupo que foi submetido a especial vigilância das autoridades dos Estados Unidos há uma década por tentar recrutar jovens nas "Twin Cities", a área metropolitana de uma parte de Minnesota formada por St. Paul e Minneapolis.

O ataque em Minnesota aconteceu quase simultaneamente à explosão de uma bomba de grande potência em Nova York que deixou 29 feridos e horas após outra explosão na cidade de Seaside Park, no estado de Nova Jersey, que não causou vítimas nem danos materiais graves.

As autoridades garantem que os incidentes não estão vinculados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos