Governador de Nova York diz que explosão foi "ato de terrorismo"

Nova York, 18 set (EFE).- O governador do estado de Nova York, Andrew Cuomo, disse neste domingo que a explosão ocorrida ontem foi um "ato de terrorismo", mas as autoridades ainda não têm provas que a vinculem ao terrorismo internacional.

"Ainda não há evidências que a vinculem com o terrorismo internacional, mas uma bomba que explode em Nova York obviamente é um ato de terrorismo", disse Cuomo em entrevista coletiva no local da explosão.

O governador acrescentou que sejam quem forem os responsáveis por colocar as duas bombas em Manhattan, as autoridades "vão encontrá-los" e levá-los à Justiça.

"Uma alternativa é especular ou formular hipóteses, e outra opção é esperar os fatos e começar a partir daí. Não seria razoável que me colocasse a especular sobre algo que ainda não conhecemos", acrescentou o governador.

Cuomo advertiu que os nova-iorquinos não vão permitir que este tipo de pessoa e este tipo de ameaça "altere" suas vidas. "Isto é uma democracia, aqui vivemos em liberdade, e não vamos permitir que nos tirem", insistiu.

O governador afirmou que desta vez houve "sorte" porque não houve mortes e explicou que as 29 pessoas que ficaram feridas após a explosão já receberam alta.

A explosão da bomba, colocada em uma lata de lixo, ocorreu por volta das 20h30 de ontem (hora local; 21h30 de Brasília) no bairro de Chelsea, uma região muito frequentada por turistas.

Posteriormente, as autoridades localizaram uma segunda bomba a pouca distância do lugar da explosão e que, segundo a polícia, foi montada em uma panela de pressão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos