Marine le Pen se apresenta em pré-campanha como a candidata do povo

Paris, 18 set (EFE).- A líder do partido ultradireitista francês Frente Nacional (FN), Marine le Pen, entrou neste domingo em pré-campanha com um discurso no qual se apresentou como a candidata do povo, defensora da soberania e das liberdades.

O encontro de dois dias de seu grupo em Fréjus, no sul da França, e que terminou hoje com o seu discurso, marcou, nas palavras dela, o "início da mobilização" para às eleições presidenciais de 2017. O início de sua campanha propriamente dita, no entanto, só acontecerá em meados de fevereiro, quando já serão conhecidos todos os candidatos, entre os quais a direita realizará suas primárias em novembro e a esquerda em janeiro.

Marine evitou citar de forma direta os seus principais adversários, em uma tentativa de se colocar acima de ambas as correntes políticas, e defendeu uma França livre das potências financeiras e das diretrizes externas.

"Olhamos o 'Brexit' com paixão: nós também estamos ansiosos para recuperar nossa liberdade", indicou ela, que as pesquisas mais recentes aparece como vitoriosa em um possível segundo turno das eleições presidenciais, previstas para 7 de maio.

A líder do FN disse ser a favor de uma França "dona de suas leis, de sua moeda, e guardiã de suas fronteiras", e criticou que os sucessivos governantes franceses tenham assinado "tratados absurdos que impedem o patriotismo econômico". A também eurodeputada ressaltou que a França já não é uma nação soberana, e advertiu que "sem soberania a democracia deixará de existir", porque a população se vê presa a interesses alheios.

"Deixamos que nos desarmem militar, intelectual e culturalmente", acrescentou Marine, que, em referência ao islamismo radical, apontou que existem no território francês "inimigos que pretendem impor os valores do exterior".

A política se apoiou também em sua condição de mulher, destacando que as francesas podem contar com ela para "protegê-las".

O início oficial da campanha da direita só acontecerá na quarta-feira, após a publicação da lista final de candidatos, enquanto no lado socialista o presidente do país, François Hollande, anunciará em dezembro se irá se apresentar às primárias ou não.

Uma pesquisa divulgada hoje pelo jornal "Le Journal du Dimanche" aponta que 84% da população está insatisfeita com a gestão de Hollande, porcentagem que no caso do primeiro-ministro, Manuel Valls, se reduz a 75%, o que em ambos os casos representa um avanço de dois pontos respeito com relação a agosto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos