Ativistas denunciam bombardeios em Aleppo após fim da trégua na Síria

Beirute, 19 set (EFE).- Maior cidade do norte da Síria, Aleppo voltou a ser alvo de bombardeios pouco depois de o exército do país declarar o fim da trégua, nesta segunda-feira, denunciaram ativistas que os presenciaram.

O porta-voz da Defesa Civil da Síria, Khaled Khatib, explicou para a Agência Efe por telefone que na última hora houve cerca de 20 bombardeios na parte oriental da cidade, que é controlada pela oposição e está cercada pelas forças governamentais; e em sua periferia norte e oeste.

"Há dezenas de mortos e ainda há gente sob os escombros", afirmou Khatib, que acrescentou que ainda não há um número exato de vítimas.

O Centro de Informações do Assédio de Aleppo - uma rede de ativistas nos distritos sitiados - informou por sua vez que aviões de guerra bombardearam os bairros de Al Maadi e Al Salhin, assim como em Auram al Kubra, ao norte da cidade.

Precisamente, um comboio de ajuda da ONU e do Crescente Vermelho da Síria tinha entrado em Auram al Kubra nas últimas horas, segundo informou o Escritório para Assuntos Humanitários (OCHA) das Nações Unidas, mas nenhuma das duas organizações confirmou o ataque aéreo, até o momento.

Além disso, a organização Legista de Aleppo Livre, que presta atendimento médico na região, garantiu que também houve bombardeios no distrito de Al Sukari, no leste da cidade.

Anteriormente, o Comando Supremo das Forças Armadas sírias declarou o fim da trégua de uma semana no país árabe, cujo prazo expirou à meia-noite, depois das violações que constatou e pelas quais culpou "organizações terroristas armadas".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos