EI abre escolas privadas na Síria após ataques a colégios por bombardeios

Beirute, 19 set (EFE).- O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) abriu escolas privadas na cidade de Al-Mayadin, no leste da província nordeste síria de Deir ez Zor, perante os bombardeios contra colégios, informaram nesta segunda-feira ativistas.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos destacou que o ano letivo já começou nesses centros, onde serão divididas disciplinas como língua árabe, matemática, religião, história e inglês.

Os colégios estarão abertos durante três horas para as meninas e quatro para os meninos.

Os radicais cobram uma cota mensal de mil libras sírias (cerca de US$ 4,7) para os estudantes do primário e de 2,5 mil libras sírias (US$ 11,6) para os de ensino médio.

Estas escolas privadas dos jihadistas foram instaladas em casas grandes, depois que o EI decidiu fechar os colégios antigos porque eram alvo dos bombardeios da coalizão internacional, liderada pelos EUA, indicou o Observatório.

A ONG afirmou que há uma grande demanda de alunos nos novos centros que querem completar seus estudos, já que estiveram quase dois anos sem poder comparecer ao colégio.

Os extremistas impõem seu próprio programa escolar nas zonas que dominam na Síria e Iraque e dispõem de centros de treinamento, nos quais doutrinam os menores e dão formação sobre uso de armas.
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos