EI crucifica três pessoas acusadas de tentar tirar civis da Síria

Beirute, 20 set (EFE).- O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) crucificou nesta terça-feira três pessoas acusadas de "contrabando de cidadãos fora do território" controlado pelos radicais na Síria, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

As três vítimas foram crucificadas em Al Dala, no centro da cidade de Al Raqqa, principal reduto dos extremistas na Síria.

O Observatório afirmou que há semanas o EI começou a recrutar cidadãos para que integrem "células dormentes" para evitar que os contrabandistas tirem civis de seus domínios no país árabe.

O EI proclamou no final de junho de 2014 um califado no território sírio e no Iraque, onde tomou zonas do norte e no centro de ambos países.

Nas áreas que dominam, os jihadistas aplicam uma versão radical da sharia ou lei islâmica e impõem estritos castigos, que incluem, entre outros, a morte por decapitação, apedrejamento e por disparos na cabeça, para aqueles que transgridem suas normas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos