Bombardeio em Aleppo deixa 5 funcionários da área da saúde mortos

Beirute, 21 set (EFE).- Pelo menos cinco trabalhadores da área da saúde no sul da Província de Aleppo, na Síria, morreram na noite de terça-feira em um bombardeio de aviões não identificados, informou nesta quarta-feira sua organização e o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

A União de Atendimento Médico e Organizações de Assistência afirmou em sua página de Facebook que cinco funcionários da unidade de saúde morreram por um ataque na cidade de Jan Tuman, no sul de Aleppo.

Já o OSDH baixou para quatro o número de enfermeiros e de membros do pessoal paramédico mortos, e acrescentando que nove combatentes da Frente da Conquista do Levante (antiga filial da Al Qaeda) e de outras facções também morreram.

A ONG destacou que foi um atentado perpetrado por aviões militares, mas não precisou sua origem, e não descartou que o número aumente, pois há pessoas feridas gravemente.

Este ataque ocorreu depois que na última segunda-feira, um comboio humanitário, organizado pela ONU e o Crescente Vermelho, foi alvo de um bombardeio na população de Urum al Kubra, no oeste de Aleppo.

O Movimento Internacional da Cruz Vermelha disse que 20 civis morreram, além de um funcionário do Crescente Vermelho; embora ativistas sírios indicaram que foram 12 os mortos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos