EUA retomam deportações de haitianos interrompidas após o terremoto de 2010

Washington, 22 set (EFE).- As autoridades migratórias dos Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira o reatamento das deportações dos imigrantes ilegais do Haiti que estão, uma decisão que põe fim à interrupção decretada pelo governo após o terremoto de 2010.

Os EUA já tinham voltado a enviar para o Haiti imigrantes ilegais condenados por crimes graves em abril de 2011, por considerar que eles representavam uma ameaça para a segurança americana. No entanto, ainda permitiam que os demais permanecessem no país.

Para o secretário do Departamento de Segurança Nacional, Jeh Johnson, a situação do Haiti melhorou o suficiente desde 2011 para os EUA retomarem as deportações.

"A situação melhorou o suficiente para permitir que o governo dos EUA devolva os haitianos de uma maneira mais regular, em consonância com a prática usada com os cidadãos de outros países", disse o secretário de Segurança Nacional em nota divulgada hoje.

Com mais da metade da população vivendo em condições de pobreza, o Haiti realizará eleições gerais no dia 9 de outubro, um pleito crucial para a democracia do país após a invalidação das eleições realizadas em outubro de 2015 por suspeitas de irregularidades.

A decisão dos EUA chega após um "aumento significativo" do número de haitianos que tenta entrar em território americano através da fronteira, indicou um alto funcionário do Departamento de Segurança.

Segundo a fonte, que pediu anonimato, muitos imigrantes entram nos EUA pela passagem fronteiriça de San Ysidro, em San Diego, na Califórnia. Até 2015, 339 haitianos chegaram ao território americano pelo local. O número subiu para mais de 5 mil neste ano.

Grande parte dos haitianos que estão chegando aos EUA vem do Brasil. Apesar de terem visto humanitário, eles estão deixando o país e atravessando vários países da América Central, passando pelo México, para cruzar a fronteira com o território americano.

O alto funcionário do Departamento de Segurança Nacional calcula que "vários milhares" de haitianos estão na América Central e no México tentando chegar aos EUA.

A mudança na política migratória não afeta os imigrantes haitianos amparados pelo Status de Proteção Temporária (TPS), uma permissão provisória de residência e trabalho que os EUA concedem de forma extraordinária aos cidadãos de países afetados por conflitos bélicos ou desastres naturais.

Os haitianos que residiam nos EUA ganharam o TPS depois do terremoto de 2010. O visto foi renovado várias vezes, de forma que é válido até 22 de julho de 2017.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos