Erdogan exige que UE elimine neste mês necessidade de visto para turcos

Istambul, 1 out (EFE).- A União Europeia (UE) deve abolir a necessidade do visto para os cidadãos turcos ainda neste mês, exigiu neste sábado o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, durante o discurso inaugural do novo período parlamentar.

"Outubro é um mês importante nas relações com a UE. A liberdade de vistos deve entrar em vigor este mês. Mas a atitude da UE é de não querer cumprir com a palavra dada à Turquia. Eles saberão. As relações são de um lado que faz promessas e outro lado que cumpre as suas", criticou Erdogan em discurso reproduzido pelo jornal "Hürriyet".

"Após esperar 53 anos na porta, aguardamos um reconhecimento nítido das autoridades da UE. Não temos nem teremos nenhum problema de direitos humanos ou Estado de direito segundo os critérios comunitários; não há obstáculo para que a UE admita a Turquia como membro; estamos preparados", garantiu Erdogan.

E acrescentou: "Mas que se acabe esse jogo. Eles devem escolher se querem continuar com a Turquia ou sem a Turquia, mas tentam jogar a culpa para cima de nós".

O acordo migratório entre a UE e Turquia que reduziu a chegada de refugiados à Grécia prevê a isenção de vistos para os cidadãos turcos.

A entrada em vigor da isenção de vistos depende da reforma da Lei Antiterrorista, para colocá-la em linha com os padrões europeus, mas Ancara se negou a modificar a legislação.

Erdogan lamentou também a decisão dos Estados Unidos de permitir julgamentos contra a Arábia Saudita pelos atentados de 11 de setembro de 2001, que descreveu como "infeliz" e parte da "política bicéfala dos EUA na Síria".

"É um passo errado que esperamos que seja corrigido o mais rápido possível. Acho que os EUA voltarão muito em breve a um nível de acordo com o espírito de nossas relações", acrescentou.

"Parte dos dirigentes americanos trabalham com as organizações terroristas (em referência às milícias curdas na Síria), e parte trabalha de acordo com nossas sensibilidades", completou.

Erdogan especificou ainda que a luta contra o grupo jihadista Estado Islâmico no noroeste da Síria, que começou com a invasão da cidade de Yarabulus no final de agosto, tem o objetivo de criar uma "área de segurança" de 5.000 quilômetros quadrados.

"Assim convergem as soluções para o terrorismo e para os refugiados. Estamos há anos defendendo este projeto, e não encontramos oposição, mas também não recebemos apoio efetivo. Tivemos que fazê-lo com nossos próprios meios", disse Erdogan.

Há uma semana, Erdogan anunciou que os Estados Unidos e o governo central do Iraque pretendem lançar uma operação militar contra a cidade iraquiana de Mossul, sob o controle do EI, no próximo dia 19 de outubro, e deixou aberta a possibilidade que Turquia vá participar dela.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos