Hospital atingido por bombas de fragmentação em Aleppo para de funcionar

Beirute, 1 out (EFE).- O hospital M10, atacado neste sábado na cidade síria de Aleppo, foi atingido por bombas de fragmentação e ficou totalmente fora de serviço, disse à Agência Efe um porta-voz da Sociedade Médica Síria Americana (SAMS).

A fonte, cuja organização presta apoio a esse hospital, explicou por telefone que o centro foi bombardeado de manhã por dois barris de explosivos, que continham bombas de fragmentação, proibidas internacionalmente.

O porta-voz acrescentou que os projéteis impactaram na entrada e na parte traseira do hospital: "Um deles caiu na área que há entre o edifício principal e a unidade de recuperação".

Após este ataque, os pacientes foram transferidos a outros hospitais do leste de Aleppo, onde fica o M10.

A metade oriental de Aleppo está cercada pelo exército sírio e controlada pela oposição.

O porta-voz destacou que, com o M10 fora de serviço, só restam cinco hospitais em funcionamento nos distritos cercados da cidade.

Anteriormente, o Observatório Sírio de Direitos Humanos tinha informado que aviões de combate não identificados tinham tido como alvo os arredores do M10, um dos maiores do leste de Aleppo, o que deixou um morto e danos materiais no centro.

É a segunda que vez que este hospital é bombardeado durante esta semana, depois que na quarta-feira passada foi alvo de ataques aéreos que forçaram uma suspensão de suas atividades, embora tenham sido retomadas no dia seguinte.

No último dia 22 de setembro, as forças governamentais sírias, respaldadas pela aviação russa, retomaram sua ofensiva em Aleppo em uma tentativa de progredir frente aos rebeldes, dias depois do fim da trégua de uma semana em todo o país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos