Guerrilha do ELN convoca colombianos a "continuar lutando" pela paz

Bogotá, 2 out (EFE).- A guerrilha do Exército de Libertação Nacional (ELN), a segunda maior da Colômbia, pediu para que se continue "lutando pela paz" depois da vitória do "não" no referendo realizado neste domingo sobre o acordo assinado pelo governo e as Farc.

"Apesar dos resultados adversos para os acordos de Havana, os colombianos devemos continuar lutando pela paz com transformações", afirmou o ELN em sua conta no Twitter.

O ELN também convocou a sociedade colombiana "para continuar buscando saída negociada ao conflito armado" que há mais de cinco décadas assola o país.

O "não" ao acordo de paz assinado há menos de uma semana pelo governo e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) venceu o referendo realizado hoje no país, segundo dados oficiais com 99,85% das urnas apuradas.

Faltando contabilizar apenas 0,15% das 81.928 mesas de votação, o "não" obteve 6.430.170 votos, o que representa 50,22%, enquanto o "sim" alcançou 6.371.911, equivalente a 49,77%, uma diferença de 0,45 pontos percentuais já insuperável.

Na terça-feira passada, um dia depois da assinatura da paz com as Farc, o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, afirmou que, se o ELN libertasse os sequestrados em seu poder, "na semana seguinte" poderia começar a fase pública de diálogos de paz com essa guerrilha.

No último dia 30 de março, o ELN e o governo colombiano anunciaram em Caracas o início de uma fase pública de diálogos de paz cuja abertura o Executivo condicionou à solução de alguns "temas humanitários", como o fim dos sequestros.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos