Referendo húngaro sobre refugiados não alcança quórum para ser válido

Budapeste, 2 out (EFE).- O referendo promovido pelo governo húngaro sobre as cotas de refugiados nos países da União Europeia (UE) não superou 50% de participação, por isso que não é legalmente válido.

O vice-presidente da formação governamental Fidesz, Gergely Gulyas, reconheceu perante a imprensa após o fechamento das urnas que apenas "45%" do total de eleitores compareceram às urnas, enquanto uma pesquisa de boca de urna situa a participação em 42%.

O primeiro-ministro conservador, Viktor Orbán, que já ventilava que a alta abstenção ameaçava o resultado, declarou hoje que não importa a validade do referendo, mas que o "não" ganhe com amplitude, o que todas as pesquisas anteciparam.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos