Cuba tem 6 províncias em alerta à espera do furacão Matthew

Havana, 3 out (EFE).- Seis províncias de Cuba estão em "alerta ciclônico" à espera do potencial impacto do furacão Matthew, que possivelmente tocará a terra por Guantánamo, no extremo leste da ilha, informou nesta segunda-feira a Defesa Civil cubana.

As províncias em "alerta" são Camagüey, Las Tunas, Holguín, Granma, Santiago de Cuba e Guantánamo, que estavam desde ontem se preparando para reduzir os efeitos do furacão, proteger a população e as infraestruturas.

Matthew, o 5º furacão da temporada no Atlântico, transita lentamente pela parte central do Mar do Caribe com ventos máximos constantes de 215 km/h, com sequências superiores e por isso continua como um intenso furacão categoria 4 na escala Saffir-Simpson (máxima de 5).

Em nota, a Defesa Civil indicou que as províncias centrais de Cienfuegos, Villa Clara, Sancti Spíritus e Ciego de Ávila continuam no estágio "informativo" e advertiu que o restante do país deve se manter "atento" sobre a evolução de Matthew.

De acordo com o último boletim do Centro Nacional de Previsões do Instituto de Meteorologia, nas primeiras horas de hoje a posição do centro de Matthew o situa cerca de 520 quilômetros ao sul de Santiago de Cuba e a 500 ao sul de Guantánamo.

Ele se movimenta lentamente com uma velocidade de apenas 9 km/h rumo ao norte, o que atrasou os prazos previstos em sua trajetória, que nas últimas 24 horas registrou um avanço de apenas 100 quilômetros, segundo o meteorologista José Rubiera, em declarações a um canal de TV local.

Segundo o especialista, Matthew deve se movimentar mais rápido nas próximas horas ao aumentar sua velocidade de translação e sua chegada ao sul de Guantánamo está prevista para amanhã. Rubiera também alertou que o furacão se manterá como "intenso" e "perigoso" e que inclusive poderia aumentar sua força enquanto se aproxima à ilha.

De acordo às previsões mais recentes, os ventos com força de tempestade tropical que acompanham Matthew começarão a se sentidos na região sudeste de Cuba a partir do fim da noite de hoje, o que provocará fortes chuvas e ressacas com ondas de até 4 metros de altura que tendem a aumentar.

A Defesa Civil de Cuba destacou que um dos maiores perigos são as inundações já que as ressacas já estão provocando no litoral sudeste perante a virtual aproximação de Matthew. Milhares de pessoas já foram retiradas de casa, por conta da previsão de piora das condições nas próximas horas.

As chamadas no rádio e na TV lembram aos habitantes que é importante "se proteger", estar "informado" sobre a evolução deste evento climatológico e manter a "disciplina".

Desde 2012, quando o destrutivo furacão Sandy, de categoria 2, provocou diversos danos nas províncias Santiago de Cuba e Holguín, a ilha não enfrentava uma ameaça que pudesse ser tão devastadora quanto a que Matthew representa agora.

Além das 11 mortes, Sandy deixou um rastro de destruição e dano avaliados em US$ 4 bilhões, que no caso das habitações ainda não foram totalmente revertidos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos