UE e Cazaquistão esperam fechar em 2017 um roteiro sobre relações

Bruxelas, 4 out (EFE).- A União Europeia (UE) e o Cazaquistão comemoraram nesta terça-feira o rumo positivo de suas relações e apresentaram a meta de consolidar, no ano que vem, um "roteiro" para os intercâmbios entre os membros do bloco e o país da Ásia Central, com foco na cooperação econômica e na luta antiterrorista.

"Na primeira metade do próximo ano poderemos finalizar o plano que será nosso roteiro", declarou em entrevista coletiva o ministro cazaque de Relações Exteriores, Erlan Idrissov, depois de se reunir com o chanceler eslovaco, Miroslav Lajcak, que representava a UE no XV Conselho de Cooperação entre o bloco e o Cazaquistão, realizado hoje em Bruxelas.

O acordo favorece "a presença da UE no Cazaquistão e vice-versa" em matéria de transporte, energia e educação, assim como no que se refere à luta antiterrorista, de modo que se garante "a segurança ao tempo que são protegidas as liberdades individuais e a liberdade", disse Lajcak.

"A UE reconhece o apoio do Cazaquistão ao Afeganistão e sua luta contra o terrorismo e o tráfico de drogas", ressaltou o chefe da diplomacia eslovaca e delegado do Conselho da UE.

Por sua vez, Idrissov acrescentou que o acordo oferece "muitas oportunidades rumo a uma cooperação do Cazaquistão com a UE".

O acordo de associação e de cooperação reforçada é aplicado, de maneira provisória desde maio em áreas como diálogo político, comércio e cooperação econômica, o Estado de direito e a justiça.

As duas partes mostraram interesse mútuo de "consolidar as relações e a cooperação, em particular garantindo a estabilidade regional e o desenvolvimento", em reunião na qual também debateram reformas políticas, judiciais e econômicas, assim como outros assuntos internacionais e a proteção dos direitos humanos.

O Cazaquistão, enfatizou Idrissov, será em 2017 e 2018 membro não permanente do Conselho de Segurança da ONU, onde enfatizará assuntos nos quais tem "visões coincidentes" com a UE.

"Somos o primeiro país de nossa região (...) a fazer parte" do Conselho de Segurança da ONU, e colocaremos o foco na "luta global contra o terrorismo e o radicalismo", resumiu o ministro cazaque, acrescentando que "o melhor para ter paz duradoura é ter desenvolvimento durável".

Ambos conversaram ainda sobre a liberalização de vistos para facilitar a mobilidade entre os territórios, com especial interesse de Astana em melhorar a fluência do trânsito.

"O entendemos, o apoiamos e estamos dispostos a avançar", disse o chanceler eslovaco.

Perguntados sobre a decisão dos Estados Unidos de suspender sua cooperação com a Rússia em relação ao conflito na Síria, Lajcak não quis se pronunciar em nome da União, mas o ministro cazaque ressaltou o ponto de vista de seu país.

"Estamos muito tristes" pelo fim do diálogo entre Rússia e Estados Unidos sobre a Síria, mas "achamos que há esperança" porque "esta profunda e sangrenta luta (...) não poderá ser resolvida sem a participação de dois atores essenciais", disse Idrissov.

Cazaquistão e União Europeia voltarão a se reunir nos dias 22 e 23 de novembro em Bruxelas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos