Bagdá convoca embaixador turco em protesto por "provocações" de Ancara

Bagdá, 5 out (EFE).- O Ministério das Relações Exteriores iraquiano convocou o embaixador da Turquia em Bagdá para mostrar seu desacordo pelas recentes declarações do governo de Ancara sobre a presença de tropas turcas no Iraque, que Bagdá qualificou de provocadoras.

"O Ministério das Relações Exteriores citou hoje o embaixador turco em Bagdá, Farouk Kaymakc, pelas declarações provocadoras turcas sobre a batalha para a libertação de Mossul", disse o porta-voz das Relações Exteriores Ahmad Jamal em comunicado.

A decisão das Relações Exteriores ocorre pouco depois que o governo de Ancara também citou o embaixador iraquiano na Turquia para protestar pela condenação ontem do parlamento do Iraque à presença de tropas turcas em território iraquiano.

"Condenamos a decisão tomada pelo parlamento do Iraque em 4 de outubro. E protestamos energicamente contra o trecho que contém as repugnantes acusações contra nosso presidente", afirma em um comunicado o Ministério das Relações Exteriores, divulgado ontem à noite.

Nessa nota também é ressaltada que a presença de forças turcas em solo iraquiano se deve "à ameaça à segurança nacional que representa o Estado Islâmico (EI)" e lembra que Ancara faz parte da coalizão internacional antijihadista.

A câmara Legislativa iraquiana pediu ontem ao governo de Bagdá que "considere o desdobramento de tropas turcas dentro do território iraquiano como forças de ocupação e hostis" e pediu que adote "as medidas necessárias para enfrentar este desdobramento e expulsá-las do Iraque".

Os legisladores iraquianos consideram, além disso, que as declarações das autoridades turcas e as de seu presidente, Recep Tayyip Erdogan, em defesa da presença turca no Iraque, são uma intromissão nos assuntos internos do país e "causam a divisão entre as distintas partes da cidade iraquiana".

Cerca de 300 soldados turcos com tanques e blindados se encontram em um acampamento militar na zona de Bashiqa, cerca de 15 quilômetros ao leste de Mossul, a segunda cidade do Iraque e ocupada pelo grupo jihadista Estado Islâmico desde 2014.

A presença destas tropas já causou vários enfrentamentos dialéticos entre as autoridades de ambos países.

Em dezembro de 2015, o governo iraquiano protestou energicamente contra a presença das tropas turcas em Bashika, por isso que inclusive recorreu à ONU.

Ancara retirou então parte dos tanques rumo ao próximo território do Curdistão iraquiano autônomo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos