Diane James, líder do partido eurofóbico UKIP, renuncia após 18 dias no cargo

Londres, 5 out (EFE).- O partido britânico eurofóbico UKIP, principal porta-bandeira do "Brexit", está nesta quarta-feira imerso em uma profunda crise por conta da inesperada renúncia de sua líder, Diane James, após 18 dias no cargo e constatar que não tinha autoridade sobre a legenda.

Em comunicado, Diane alegou motivos "pessoais e profissionais" e afirmou que não lhe deram "suficiente autoridade" para introduzir as mudanças que desejava no partido, terceiro do Reino Unido em número de votos e com um deputado na Câmara dos Comuns.

Diane James disse que permanecerá como eurodeputada pelo partido, que é a força britânica mais representada no parlamento europeu, com 22 cadeiras.

O presidente do UKIP, Paul Oakden, confirmou hoje a renúncia da líder eleita e antecipou que convocará uma reunião de emergência para desenhar o processo para escolher o sucessor de Diane.

O antigo líder do UKIP, Nigel Farage, que centrou sua carreira política em promover a saída da União Europeia (UE), assegurou que não pensa voltar à liderança "nem por US$ 10 milhões".

Farage, que também é eurodeputado, deixou a direção do UKIP após a vitória do "Brexit", no referendo de junho, por considerar que já tinha cumprido seu sonho e objetivo político de tirar o país da UE. EFE

jm/phg

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos