Furacão Matthew chega às Bahamas e avança rumo ao litoral da Flórida

Miami, 5 out (EFE).- O poderoso furacão Matthew, que perdeu intensidade após castigar o extremo leste de Cuba na terça-feira, está neste momento sobre o arquipélago das Bahamas, de onde avançará depois rumo à costa leste da Flórida, informou nesta quarta-feira o Centro Nacional de Furacões (NHC, sigla em inglês) dos Estados Unidos.

Em seu boletim das 15h (de Brasília), o NHC indicou que Matthew, um furacão de categoria 3, se desloca rumo ao noroeste com uma velocidade de 19 km/h e se encontra 115 quilômetros ao norte-nordeste de Cabo Lucrecia (Cuba) e a 115 quilômetros ao sul de Long Island, nas Bahamas.

Espera-se que o ciclone mantenha essa trajetória nas próximas 48 horas, por isso Matthew atravessará o arquipélago das Bahamas entre hoje e amanhã, e ficará "muito próximo da costa leste da Flórida na quinta-feira pela tarde", destacaram os meteorologistas do NHC, cuja sede fica em Miami.

Os cientistas preveem um "fortalecimento adicional" de Matthew nas próximas 48 horas, por isso o sistema deverá se manter como um furacão de categoria 3, "ou até mais forte", enquanto "atravessa as Bahamas e se aproxima da costa leste da Flórida".

O alerta de furacão (passagem do sistema em 36 horas) foi emitido na faixa territorial que vai do norte da enseada de Sebastian até a linha entre os condados de Flagler e Volusia, no litoral nordeste da Flórida.

Além disso, permanecem ativos os alertas de furacão para as províncias de Guantánamo, Santiago de Cuba, Holguín, Granma e Las Tunas, em Cuba, e também para as regiões sudeste, central e noroeste das Bahamas.

O alerta de furacão também está mantido na faixa que vai do norte de Golden Beach até os condados de Flagler e Volusia, no litoral nordeste da Flórida, e no lago de Okechobee, ao norte do condado de Miami-Dade.

Há também um alerta de tempestade tropical para o Haiti e na Flórida, de Chokoloskee até Golden Beach, e nas ilhotas deste estado americano, da ponte das Sete Milhas até a baía da Flórida.

O furacão, que já passou por Haiti e Cuba, está causando chuvas torrenciais, fortes ventos e inundações nas regiões onde tocou terra, além de perigosos deslizamentos.

O saldo preliminar da passagem do sistema de baixa pressão pelo Haiti é de pelo menos nove mortos e cerca de 14 mil desalojados, segundo os veículos de imprensa locais.

Os últimos modelos de computador mostram uma grande parte da Flórida dentro do cone de projeção do furacão. Um desses modelos, o europeu, indica que Matthew poderia tocar terra no condado de West Palm Beach, ao norte de Miami, mas a maioria das projeções situa o olho do ciclone sobre o mar, mas muito perto do litoral.

O governador da Flórida, Rick Scott, advertiu ontem que o impacto direto de Matthew poderia causar muita destruição, algo que não acontece nesse estado desde a passagem do furacão Andrew em 1992.

As autoridades do estado repetiram em várias ocasiões para a população que é de extrema importância que todos estejam preparados com estoques de água, comida e remédios para cerca de três dias, diante da chegada do poderoso furacão.

Os especialistas também alertaram para a perigosa "combinação de ressaca e grandes ondulações, que podem elevar o nível de água do mar" e causar inundações nas zonas litorâneas.

De acordo com o NHC, Matthew, que chegou a atingir a categoria 5, é o furacão mais poderoso que se formou no Atlântico desde Félix, em 2007, que deixou mais de 130 mortos em sua passagem pela Nicarágua.

Na atual temporada de furacões no Atlântico, 14 tempestades tropicais se formaram, das quais cinco se transformaram em furacões (Alex, Earl, Gastón, Hermine e Matthew), que causaram pelo menos 66 mortes, a maioria delas no México durante a passagem de Earl.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos