Furacão Matthew perde intensidade em seu avanço rumo às Bahamas

Miami (EUA), 5 out (EFE).- O poderoso furacão Matthew perdeu intensidade nesta quarta-feira e apresenta ventos máximos constantes de 185 km/h, mas continua seu avanço rumo ao centro e ao noroeste das Bahamas, informou o Centro Nacional de Furacões (NHC, sigla em inglês) dos Estados Unidos.

Matthew, um furacão de categoria 3, passou ontem à noite pelo extremo leste da ilha de Cuba e se dirige agora rumo ao centro e ao noroeste das Bahamas, e amanhã chegará próximo do litoral sudeste da Flórida, de acordo com o último boletim do NHC.

Matthew se desloca rumo ao norte-noroeste com uma velocidade de 17 km/h e se encontra 85 quilômetros ao leste-nordeste de Cabo Lucrecia (Cuba) e 185 quilômetros ao sul de Long Island, nas Bahamas.

Espera-se que o ciclone mantenha hoje essa trajetória, mas faça um giro para o noroeste durante a noite, por isso Matthew "passará pelas Bahamas na quinta-feira e muito perto da costa leste da Flórida nesse mesmo dia pela tarde", ressaltaram os cientistas do NHC, cuja sede fica em Miami.

Os efeitos de Matthew começarão a ser sentidos no sudeste e no centro das Bahamas durante a tarde, e na região nordeste do arquipélago pela noite.

O alerta de furacão (passagem do sistema em 36 horas) permanece para o lago Okeechobee, no norte do condado Miami-Dade (Flórida), e de Golden Beach até Sebastian Inlet, uma faixa litorânea de aproximadamente 240 quilômetros nos EUA.

Além disso, o alerta de furacão segue vigente para o Haiti e as províncias cubanas de Guantánamo, Santiago de Cuba, Holguín, Granma e Las Tunas, além do sudeste, do centro e do noroeste das Bahamas.

O furacão já passou por Haiti e Cuba e está causando chuvas torrenciais, fortes ventos e inundações nas localidades onde tocou terra, além de perigosos deslizamentos.

O saldo preliminar da passagem do sistema de baixa pressão pelo Haiti é de pelo menos nove mortos e aproximadamente 14 mil desalojados, segundo a imprensa local.

Os cientistas preveem que Matthew apresentará "oscilações de intensidade", mas voltará a "ganhar força" nas próximas 48 horas, por isso poderia se transformar novamente em um furacão de categoria 4 na escala de intensidade Saffir-Simpson, que tem um máximo de 5.

Os últimos modelos feitos em computador mostram uma grande parte da Flórida dentro do cone de projeção do furacão. Um dos modelos, o europeu, projeta que Matthew poderia tocar terra no condado de West Palm Beach, ao norte de Miami, mas a maioria deles situa o olho do ciclone no mar, fora do litoral.

O governador da Flórida, Rick Scott, advertiu ontem que o impacto direto de Matthew poderia causar muita destruição, algo que não acontece nesse estado desde a passagem do furacão Andrew em 1992.

Todas as autoridades do estado repetiram em várias ocasiões para a população que é de extrema importância que todos estejam preparados com estoques de água, comida e remédios para cerca de três dias, diante da chegada do poderoso furacão.

De acordo com o centro meteorológico, Matthew, que chegou a atingir a categoria 5, é o furacão mais poderoso que se formou no Atlântico desde Félix, em 2007, que deixou mais de 130 mortos em sua passagem pela Nicarágua.

Na atual temporada de furacões no Atlântico se formaram 14 tempestades tropicais, das quais cinco se transformaram em furacões (Alex, Earl, Gastón, Hermine e Matthew), que causaram pelo menos 66 mortes, a maioria delas no México pela passagem de Earl.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos