Trump propõe isolacionismo e Hillary continuísmo, segundo Insulza

Santiago do Chile, 5 out (EFE).- O ex-secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA) José Miguel Insulza afirmou nesta quarta-feira que o candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump, propõe medidas isolacionistas em política externa, enquanto a candidata democrata, Hillary Clinton, aposta pela continuidade.

"Hillary significa uma certa continuidade do que há agora com (Barack) Obama, a busca por novas alianças e grandes blocos apesar de ser menos internacional que Obama, mas Trump pode significar um maior isolamento", disse Insulza em uma conferência em uma universidade de Santiago.

Insulza liderou a OEA entre 2005 e 2015 e atualmente é o agente do Chile perante a Corte Internacional de Justiça (CIJ) de Haia para a demanda boliviana que procura obter uma saída ao mar.

O também ex-chanceler chileno considerou que Trump conseguiu reavivar o isolacionismo e que sua vitória traria uma nova dimensão da presença dos EUA no mundo, mas alertou que "não é uma pessoa com ideias muito fixas".

O ex-secretário-geral da OEA afirmou que, segundo as pesquisas Trump tem um apoio majoritário no segmento "homem branco" e considerou que os eleitores do republicano têm um perfil definido.

"São cidadãos trabalhadores, obedientes da lei, xenófobos, racistas e amantes das armas", sustentou.

Além deste grupo, há outra parte da população americana que votará a Trump e "que se sente profundamente desenraizada, convencida de que esta sociedade não lhe deu o que quer".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos