Turquia exonera mais 66 juízes e promotores por vínculos com clérigo opositor

Istambul, 5 out (EFE).- O Alto Conselho do Poder Judiciário da Turquia (HSYK, sigla em truco) exonerou 66 juízes e promotores por considerar que os mesmos mantinham vínculos com o grupo político do clérigo conservador Fethullah Gülen, informou nesta quarta-feira a emissora turca "NTV".

Os juristas já estavam suspensos de suas funções, pois eram alvo de uma investigação sobre a presença no Poder Judiciário de simpatizantes de Gülen, que vive exilado nos Estados Unidos e que é acusado pelo governo truco de instigar o fracassado golpe militar de julho.

Assim, o número total de juízes e promotores exonerados chega a 3.456 pessoas, segundo a "NTV".

Esta medida se insere nos esforços do governo para expulsar da máquina estatal simpatizantes de Gülen, fundador de uma confraria que durante a última década chegou a ocupar postos-chave nos poderes Executivo e Judiciário.

A luta de poder entre a confraria e o partido governante, o islamita AKP, começou em 2013 e levou o HSYK a suspender milhares de juízes, uma medida que se intensificou após o levante de 15 de julho deste ano, do qual o governo acusa Gülen de ser responsável, mas que o clérigo nega qualquer envolvimento.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos