EI assume atentado contra rebeldes em fronteira entre Síria e Turquia

Beirute, 6 out (EFE).- O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) reivindicou nesta quinta-feira o atentado contra um grupo de rebeldes sírios na passagem fronteiriça de Atme, entre a província síria de Idlib e a Turquia, em comunicado publicado no Twitter.

Na nota, cuja autenticidade não pôde ser comprovada, o grupo radical afirmou que um dos "soldados do califado" detonou o colete com explosivos no meio de um grupo de combatentes sírios "supervisados pelos EUA".

O EI afirmou que o ataque causou a morte de 35 pessoas e ferimentos em outras 45, e que entre os mortos há líderes insurgentes, entre os quais figura um dirigente do Movimento Islâmico dos Livres de Sham (Levante) e o presidente de uma corte islâmica dos rebeldes.

Segundo a última apuração divulgada pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos, pelo menos 29 pessoas, a maioria combatentes opositores, morreram nesse ataque, embora a ONG não tenha descartado que o número aumente, porque há informações que outras sete pessoas poderiam ter morrido.

Os milicianos pertencem a facções sírias apoiadas pela Turquia que participam da operação de Ancara "Escudo do Eufrates" contra o EI na vizinha província de Aleppo, embora os curdos tenham denunciado que também foi alvo de ataques por parte das forças turcas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos