Furacão "Matthew" ganha força e se aproxima do litoral da Flórida (EUA)

Miami, 6 out (EFE).- O furacão "Matthew" voltou a ganhar força nesta quinta-feira, o que o coloca novamente na categoria 4 da escala Saffir-Simpson, enquanto se aproxima do litoral sudeste da Flórida, informou o Centro Nacional de Furacões (NHC, sigla em inglês) dos Estados Unidos.

Em seu boletim das 12h (de Brasília) de hoje, o NHC indicou que o poderoso furacão se encontra 40 quilômetros a oeste-noroeste de Nassau, nas Bahamas, e 290 quilômetros a sudeste de West Palm Beach, no litoral sudeste da Flórida.

O sistema de baixa pressão apresenta ventos máximos constantes de 220 km/h e se desloca rumo ao noroeste com uma velocidade de translação de 22 km/h.

"Matthew" recuperou hoje a força de categoria 4 em sua passagem pelas Bahamas, enquanto as pancadas de chuva das bordas exteriores já começam a atingir o sudeste da península da Flórida.

O olho de "Matthew" se movimenta neste momento em direção ao noroeste entre a ilha de Andros e Nassau, nas Bahamas, e espera-se que mantenha hoje esta trajetória para "girar rumo ao nor-noroeste" esta noite ou amanhã cedo.

Segundo este padrão de trajetória, "Matthew" deveria atravessar na tarde de hoje o noroeste das Bahamas e "movimentar-se perto ou inclusive sobre a costa leste da península da Flórida até sexta-feira à noite", destacaram os analistas do NHC, com sede em Miami.

"Matthew" é um furacão de categoria 4 na escala de intensidade Saffir-Simpson, de um máximo de 5, e se espera um "fortalecimento adicional" de seus ventos, embora "deva permanecer como um ciclone de categoria 4 enquanto se aproxima da Flórida", advertiram os meteorologistas.

O furacão, que já passou por Haiti e Cuba, países que já suspenderam os avisos e alertas pela passagem deste ciclone, está causando chuvas torrenciais, fortes ventos e inundações nas áreas onde tocou terra, além de perigosos deslizamentos.

O saldo preliminar da passagem do furacão "Matthew" é de 25 mortos, 19 deles no Haiti, segundo veículos de comunicação locais.

O governador da Flórida, Rick Scott, advertiu nesta manhã em entrevista coletiva que "milhões de moradores ficarão sem luz elétrica" após o impacto deste temível furacão.

Scott alertou ontem que um impacto direto de "Matthew" na Flórida poderia causar uma destruição em massa como não se viu no estado desde a passagem do furacão "Andrew" em 1992, e solicitou uma declaração de emergência para a região por parte do presidente, Barack Obama.

Os especialistas destacaram também a perigosa "combinação de ressaca ciclônica e grandes ondas destrutivas que poderiam aumentar o nível de água do mar" e causar inundações nas zonas litorâneas.

"Haverá um potencial de inundações que podem ameaçar a vida das pessoas durante as próximas 36 horas ao longo da costa leste da Flórida", alertou o NHC.

De acordo com o centro meteorológico, "Matthew", que chegou a ter a categoria 5, é o furacão mais poderoso que se formou no Atlântico desde "Félix", em 2007, que causou mais de 130 mortes durante sua passagem pela Nicarágua.

Nesta temporada de furacões no Atlântico se formaram 14 tempestades tropicais, das quais cinco se transformaram em furacões ("Alex", "Earl", "Gastón", "Hermine" e "Matthew"), que causaram pelo menos 66 mortes, a maioria delas no México durante a passagem de "Earl".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos