Comitê Nobel destaca "esforços" do presidente Santos pela paz na Colômbia

Copenhague, 7 out (EFE).- O Comitê Nobel da Noruega reconheceu nesta sexta-feira em Oslo o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, por seus "grandes esforços" para acabar com a guerra civil que já dura mais de meio século em seu país.

O organismo ressaltou em sua decisão que Santos tomou a iniciativa para começar o processo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e que "o tempo todo" incentivou as conversas, que começaram oficialmente em 2012 na Noruega, país que atua como mediador com Cuba. O processo colombiano era o grande favorito nas previsões até uma semana atrás, mas a vitória do "não" ao acordo no referendo do domingo passado fez com que ele perdesse força nas apostas, que começaram a apontar para outros candidatos, como o programa nuclear iraniano e o acordo sobre a mudança climática de Paris.

"O fato de que a maioria dos eleitores ter dito 'não' ao acordo de paz não significa necessariamente que o processo de paz esteja morto. O referendo não foi um voto favorável ou contrário à paz. O que os partidários do 'não' rejeitaram não foi à paz, mas um acordo específico", ressaltou o Instituto Nobel da Noruega em comunicado.

O Comitê destacou que Santos abriu um amplo diálogo nacional para dar o processo e que até os partidários do "não" nessa consulta se mostraram dispostos a participar, mas alertou sobre a incerteza que os últimos acontecimentos geram para o futuro da Colômbia e a ameaça "real" de colapso. Apesar da reviravolta do referendo, Santos aproximou "de forma sensível" o conflito a uma solução pacífica e colocou as bases para um desarmamento verificável das Farc e para a reconciliação nacional, por isso que cumpriria com os critérios assinalados para o prêmio no testamento de seu criador, Alfred Nobel.

Embora a decisão reconheça o papel de todas as partes no processo e considere o prêmio um estímulo para que lutem pela paz, a reconciliação e a justiça na Colômbia, não incluiu às Farc, o outro grupo do conflito armado. O Comitê se limitou a enfatizar o papel decisivo de Santos e reiterou que nunca faz comentários sobre quem não ganha o prêmio.

"Há muitas partes no processo, mas Santos foi quem tomou a primeira e histórica iniciativa. Existiram outras tentativas antes para conseguir a paz, mas ele foi com tudo e com uma grande vontade de conseguir um resultado, por isso se destacou. Além disso, é o líder do governo do país", disse em entrevista coletiva a presidente do comitê, Kaci Kullmann Five.

Apesar da surpresa pelo ganhador e sua escolha sozinho, a decisão foi aplaudida dos partidos e partidos e das organizações norueguesas.

"O prêmio vai para um líder que mostrou grande coragem ao sentar-se à mesa de negociações para acabar com o conflito mais longo da América Latina, e grande resistência, ao aguentar quatro anos", declarou a primeira-ministra norueguesa, a conservadora Erna Solberg.

Já o ministro das Relações Exteriores, Borge Brende, que esteve presente na assinatura dos acordos em Cartagena de Indias (Colômbia), também destacou a "coragem" de Santos, mas disse que as Farc também merecem ser reconhecidas por seu papel.

O presidente colombiano é o primeiro latino-americano a ganhar o prêmio Nobel da Paz desde 1992, quando a líder indígena guatemalteca Rigoberta Menchú venceu, e com ele já são 26 os chefes de Estado ou governo mundiais que receberam esse reconhecimento.

Juan Manuel Santos, o segundo colombiano a ganhar um Nobel após o escritor Gabriel García Márquez (Literatura, 1982), receberá o prêmio de 8 milhões de coroas suecas (R$ 3.004.771), em 10 de dezembro na Prefeitura de Oslo.

O Nobel da Paz é o único que é entregue fora da Suécia, por decisão expressa do fundador dos prêmios, já que em sua época Noruega fazia parte do reino sueco.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos