Milhares de pessoas participam de manifestação pela paz em Medellín

Medellín (Colômbia), 7 out (EFE).- Milhares de pessoas marcharam nesta sexta-feira em Medellín, na Colômbia, para dizer que "não voltarão à guerra" e "unificar forças" em favor da paz no país, após a rejeição do acordo de paz assinado pelo governo e as Farc no referendo do último domingo.

A mobilização maciça convocada por jovens e realizada sob a frase "A paz nos pertence", reuniu várias organizações cívicas, universidades, vítimas e membros da comunidade LGBT com a intenção de unir aqueles que votaram "não" e "sim" no referendo.

O objetivo final é acabar o conflito de mais de meio século entre a Colômbia e as Farc.

"Buscamos enviar uma mensagem de reconciliação e unificar forças e dizer para a Colômbia que ainda podemos criar oportunidades para construir a paz que todos nós desejamos", disse à Agência Efe, Daniela Galvis Restrepo, uma das organizadoras da manifestação.

Ela acrescentou que os participantes do ato, sem dúvida, estavam realizados com a entrega Prêmio Nobel de paz, nesta sexta, ao presidente colombiano, Juan Manuel Santos, pois é um "reconhecimento às vítimas" e "impulsiona o país a aproveitar este momento histórico".

Mensagens como "Que os líderes saibam que acreditamos na paz", "Meu coração está pronto para perdoar" e "Colômbia construímos todos juntos" surgiram entre os cartazes que os manifestantes carregavam durante o percurso que durou várias horas.

Entre os objetivos da mobilização de Medellín, além do "clamor popular" pelo não levantamento da cessar-fogo e a exigência de vontade política para a assinatura da paz, esteve manter o enfoque de gênero nos acordos elaborados durante os quatro anos que durou a negociação em Havana.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos