Polêícia faz novas inspeções na Alemanha após grande operação antiterrorista

Berlim, 9 out (EFE).- A polícia alemã realizou várias inspeções na cidade de Chemnitz, no leste do país, relacionadas com a operação antiterrorista feita no sábado para deter um jovem sírio que supostamente tentava cometer um atentado e que conseguiu fugir.

Pelo Twitter, a polícia do estado da Saxônia confirmou que as forças especiais entraram em uma casa no noroeste da cidade na qual vive um conhecido do suposto terrorista, segundo as investigações.

"Havia indícios de contatos permanentes com o suspeito", informou o departamento policial pela rede social em referência a uma das ações.

O objetivo principal destes registros é tentar encontrar mais explosivos, reconheceu um porta-voz do Departamento Estadual de Investigações (LKA) da Saxônia.

As forças de segurança receberam mais de 80 alertas nas últimas horas após pedirem a colaboração da população para descobrir o paradeiro de Jaber Albakr, o sírio de 22 anos procurado por toda a Alemanha desde sábado por estar montando uma bomba para perpetrar um ataque.

A operação para deter Albakr começou na manhã de sábado, após a polícia da Saxônia ter recebido na sexta-feira informações dos serviços secretos nas quais se alertava sobre o "sério perigo" que o suspeito representava.

Unidades especiais entraram no domicílio do jovem sírio em meio a um forte esquema policial na área de Fritz-Heckert, no sul de Chemnitz, depois que o suspeito abandonou o edifício.

Na inspeção do imóvel, a polícia apreendeu "centenas de gramas" de materiais "altamente explosivos" e "mais perigosos que TNT", segundo Tom Bernhardt, porta-voz da LKA saxã.

O jornal "Bild" afirma, citando fontes da investigação, que trata-se de um quilo de peróxido de acetona (TATP), material muito explosivo que pode ser fabricado com componentes de fácil acesso.

Uma equipe de especialistas compareceu ao local para detonar o material encontrado devido à impossibilidade de transportá-lo, enquanto cerca de 20 vizinhos permaneciam fora de suas casas por motivos de segurança.

Além disso, outras três pessoas foram detidas ao longo do dia em Chemnitz por estarem relacionadas com o jovem sírio, duas perto da estação central de trem da cidade e outra no centro comercial.

Dois dos detidos foram libertados neste domingo, enquanto o terceiro, o inquilino oficial do apartamento no qual residia Albakr, ainda está sendo interrogado e teve a prisão preventiva solicitada pela promotoria de Dresden, que o acusa de cumplicidade na preparação de um ataque.

A Alemanha sofreu dois ataques jihadistas em julho, ambos causados por solicitantes de asilo, nos quais morreram os dois terroristas e 20 pessoas ficaram feridas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos