Trump nega ter atacado sexualmente mulheres e afirma que as "respeita"

Saint Louis (EUA), 9 out (EFE).- O candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, negou neste domingo ter atacado sexualmente mulheres e disse que as "respeita", da mesma forma que elas o "respeitam", em referência ao polêmico vídeo no qual faz comentários que denigrem as mulheres.

Trump fez esses comentários no segundo debate entre os candidatos à presidência realizado em Saint Louis (Missouri), no qual sua rival democrata, Hillary Clinton, o criticou duramente por esses comentários

No começo do debate, Trump rotulou esse vídeo de "conversa de vestiário", disse não se sentir "orgulhoso dele" e enfatizou que já se desculpou perante sua família e os cidadãos.

O empresário reiterou que sente um "grande respeito pelas mulheres" e atacou o ex-presidente Bill Clinton, marido da ex-secretária de Estado, de quem afirmou que "nunca houve ninguém na história da política que tenha abusado mais das mulheres".

Horas antes do debate, Trump foi visto com várias mulheres que acusaram no passado Bill Clinton de assédio sexual.

Além disso, Trump tentou desviar as perguntas dos moderadores do debate sobre o vídeo falando de sua promessa de derrotar o Estado Islâmico (EI) e de voltar a tornar os EUA um país "seguro".

No entanto, Hillary aproveitou a ocasião para ressaltar que o Donald Trump que aparece no polêmico vídeo fazendo comentários que denigrem as mulheres é exatamente "quem Donald Trump é".

"O que todos vimos e ouvimos na sexta-feira foi Donald falando de mulheres, o que ele pensa sobre as mulheres, o que faz às mulheres", afirmou a ex-primeira-dama.

"Diz que o vídeo não representa quem ele é, mas acredito que está claro para quem o tenha visto que representa exatamente o que é. Vimos ele insultar as mulheres, julgá-las por sua aparência", acrescentou a candidata democrata.

O polêmico empresário busca hoje reavivar sua campanha, após a grave crise criada pela divulgação de um vídeo de 2005 no qual ele faz comentários que denigrem as mulheres com uma linguagem muito vulgar e ofensiva.

Os líderes mais destacados do Partido Republicano condenaram com contundência as palavras ofensivas de Trump, ao mesmo tempo que vários legisladores conservadores e nomes históricos do partido pediram sua renúncia ou lhe retiraram seu apoio.

Inclusive o companheiro de chapa de Trump, o governador Mike Pence, se declarou "ofendido" com os comentários do empresário e afirmou que não podia "defendê-los".

"As mulheres bonitas me atraem automaticamente. Começo a beijá-las, é como um imã, não posso nem esperar (...). E quando você é uma celebridade elas te deixam fazer o que quiser, pode fazer o que quiser (...) Você pode fazer tudo", disse Trump - que na época já estava casado com sua terceira esposa, Melania - em um momento da gravação.

Após seu primeiro debate com Hillary Clinton, do qual saiu perdedor, segundo analistas e pesquisas, Trump já ameaçou estar preparado para atacar sua rival democrata com os escândalos amorosos de seu marido.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos