Chefe de campanha de Trump diz que ameaça de prender Hillary foi "piada"

Washington, 10 out (EFE).- A chefe de campanha de Donald Trump, Conway Kellyanne, disse nesta segunda-feira que a afirmação do candidato republicano à Casa Branca durante o debate presidencial de domingo sobre prender Hillary Clinton foi "uma piada".

"Se ela vai ou não à prisão não depende de Donald Trump. Tudo depende de quem tenha que considerar se ela cometeu ou não um crime", disse Conway na emissora "MSNBC".

Trump advertiu a Hillary no segundo debate entre ambos realizado no domingo em Saint Louis (Missouri) que se chegar à presidência nomeará um promotor especial para investigar o uso de um servidor de e-mail privado por parte da candidata democrata durante seu período como secretária de Estado (2009-2013).

"Se ganhar, vou mandar meu advogado para obter um promotor especial e investigar sua situação. Nunca houve tantas mentiras, e engano. Nunca houve nada igual", disse Trump a sua rival, a quem o FBI já eximiu de qualquer cargo pelo escândalo dos correios.

Em uma troca posterior, quando Hillary afirmou que se alegrava que "alguém com o temperamento de Donald Trump não esteja liderando" o país, o magnata replicou: "Porque então estaria na prisão".

"Acredito que isso aconteceu porque Donald Trump foi canalizando as frustrações que escutou de milhares de eleitores depois de muitos dias", justificou sua chefe de campanha para as eleições presidenciais de 8 de novembro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos