Santos afirma que avanço em diálogo com ELN fará com que paz seja "completa"

Bogotá, 10 out (EFE).- O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, disse nesta segunda-feira que avançar nas negociações de paz com a guerrilha do Exército de Libertação Nacional (ELN) fará com que a paz no país seja "completa".

"Agora que avançamos com o ELN, será completa, será uma paz completa", disse Santos em discurso minutos depois que seu governo e essa guerrilha, a segunda maior do país, anunciaram em Caracas que no dia 27 de outubro iniciarão no Equador a fase pública de negociações.

Em sua declaração, Santos lembrou que estão há três anos trabalhando com o ELN para abrir uma negociação que permita "acabar também o conflito armado com eles".

Durante seu discurso também destacou que para poder chegar à fase pública das negociações "foi fundamental que se tivesse iniciado o processo de libertações" das pessoas que o ELN mantinha sequestradas, uma das imposições do governo.

Dessa forma, não haverá "nunca mais sequestrados pelo ELN na Colômbia".

Essa guerrilha libertou hoje o último dos agricultores que sequestrou há semanas no departamento de Arauca, na fronteira com a Venezuela, e se desconhece o número de pessoas que mantém em seu poder, mas se tem certeza que ainda está em seu poder o ex-congressista Odín Sánchez Montes de Oca.

No último mês de o abril, ex-parlamentar pediu para ficar em cativeiro no lugar de seu irmão Patrocinio, ex-governador do departamento de Chocó, que estava há quase três anos sob o poder dessa guerrilha e tinha graves problemas de saúde.

Santos destacou que as partes decidiram iniciar as negociações discutindo simultaneamente dois pontos da agenda: o de "participação popular" e o de "as ações e gestos humanitários que devem acontecer para ajudar a construir a paz", o que representa acelerar o processo.

Além disso, agradeceu ao presidente do Equador, Rafael Correa, e a seu governo por "sua permanente disposição para servir como anfitriões para o início desta fase pública de negociações".

Santos também mostrou sua gratidão aos demais países que acompanharam o processo até agora e continuarão fazendo-o na fase pública: Noruega, Chile, Cuba e Brasil.

Por último agradeceu à Venezuela, que facilitou as reuniões para estabelecer a abertura da mesa de conversas.

O presidente colombiano também detalhou que nos próximos dias será divulgada a formação das equipes negociadores para esta fase.

"Os olhos do mundo nos observam e esperam o melhor", concluiu Santos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos