Célula da Al Qaeda pede 4 milhões de euros por italianos capturados na Líbia

Trípoli, 12 out (EFE).- Os dois cidadãos italianos que foram sequestrados há um mês na Líbia estão sob custódia de uma célula vinculada à Al Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI), que exige o pagamento de 4 milhões de euros por seu resgate, revelou uma fonte de segurança da Argélia.

Em declarações ao jornal digital "Middle East Eye", a fonte, que não foi identificada, explicou que o líder dessa célula é um cidadão argelino que aparentemente trabalha de forma independente ao sudoeste de Trípoli, a capital da Líbia.

"O grupo é integrado por líbios e argelinos e está dirigido pelo argelino Abdela Belakahal. Eles ameaçam entregar os dois reféns à cúpula da AQMI ou ao Estado Islâmico se não houver pagamento de resgate", afirmou a fonte.

Bruno Cacace, de 56 anos, e Danilo Calonego, de 68 anos, ambos engenheiros da companhia Contratti Internazionali Costruzioni (CO.I.COS), foram sequestrados no dia 20 de setembro na cidade de Ghat, no sul da Líbia e próxima da fronteira com a Argélia.

Além dos dois italianos, um cidadão canadense que trabalhava na remodelação do aeroporto da cidade junto com Cacace e Calonego também foi sequestrado.

A Líbia é um Estado falido, vítima do caos e da guerra civil, desde que a comunidade internacional apoiou a revolta rebelde em Benghazi há cinco anos e contribuiu militarmente para queda do regime de Muamar Kadafi.

O país norte-africano conta na atualidade com dois governos: um em Tobruk, que ainda é legalmente reconhecido pela comunidade internacional, e outro em Trípoli, chamado governo de união nacional, que conta com apoio da ONU e da União Europeia e busca por reconhecimento popular e internacional.

Desse conflito tiraram proveito os grupos jihadistas, especialmente o braço líbio do Estado Islâmico, que em apenas um ano avançou de seu bastião em Derna, no oeste, para as cidades de Benghazi - a segunda mais importante do país - e Sirte, no litoral central.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos