Hillary diz que Trump está desesperado e prevê participação eleitoral recorde

Washington, 12 out (EFE).- A candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, afirmou nesta quarta-feira que seu rival republicano, Donald Trump, está desesperado pelas polêmicas enfrentadas na última semana e previu uma participação recorde no pleito marcado para ocorrer em 8 de novembro.

"Sua campanha disse hoje que vai usar uma estratégia de terra arrasada. Isso mostra o quão desesperados estão. Tudo o que lhes resta é negatividade e pessimismo", afirmou a ex-secretária de Estado em um comício realizado no estado do Colorado.

Hillary se referia a uma informação divulgada hoje pelo "The Wall Street Journal", que afirma, segundo fontes da campanha do republicano, que a equipe de Trump decidiu na última sexta-feira implementar a estratégia de "terra arrasada" guardada até então.

A ex-primeira-dama se apresentou hoje como uma antítese de Trump que, segundo ela, "cada vez cai mais e joga mais baixo". E prometeu dar aos cidadãos algo para que eles "votem a favor e não contra" nas quatro semanas que faltam para a realização das eleições.

"Não sei se houve alguma vez eleição mais séria e mais relevante. Em muitos estados que têm voto antecipado, estamos vendo números maiores de participação que no passado. Esta manhã, em Ohio, vimos um número recorde de pessoas", indicou a democrata.

"Haverá uma grande participação para rejeitar a campanha obscura, divisora e cheia de ódio realizada pelo meu oponente", completou.

Hillary afirmou que não há duas pessoas muito diferentes disputando a presidência e se mostrou confiante de que se as pessoas forem às urnas ela será eleita. O voto não é obrigatório no país.

Já Trump, em campanha no decisivo estado da Flórida, sinalizou mais uma vez sua ruptura com a cúpula do Partido Republicano ao reprovar o presidente da Câmara dos Representantes, Paul Ryan.

O frágil apoio que unia a campanha do magnata à liderança do partido ruiu com a pior tempestade política da campanha de Trump, provocada por uma gravação de 2005 divulgada pelo "The Washington Post" na última sexta-feira. No vídeo, o empresário faz vários comentários abusivos sobre as mulheres.

Hillary aproveitou o comício no Colorado para manter a polêmica viva. "Não me preocupa o que ele diz de mim. Me preocupa o que ele diz de vocês. Os defenderei de seus insultos e sua falta de respeito", disse a ex-secretária de Estado.

"Ele insultou praticamente todo o mundo. Vamos mostrar que os Estados Unidos são melhores do que o que Donald Trump diz e representa", completou Hillary.

A ex-primeira-dama se beneficiou da implosão da campanha do empresário nos últimos dias e dobrou a vantagem nas pesquisas, agora de 6,2 pontos percentuais, de acordo com a média realizada pelo site especializado "Real Clear Politics".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos